Ficando a apenas dois votos do pleno da esquerda, Ferro Rodrigues falou para o Palácio de Belém no seu primeiro discurso: "Não há coligações aceitáveis e outras banidas"



A intervenção do Presidente da República na quinta-feira justificando a indigitação de Pedro Passos Coelho para primeiro-ministro esteve ontem no centro do primeiro discurso do socialista Eduardo Ferro Rodrigues como presidente da Assembleia da República.Sem citar Cavaco Silva, Ferro Rodrigues disse: "Assim como não há deputados de primeira e de segunda, também não há grupos parlamentares de primeira e de segunda, coligações aceitáveis e outras banidas". "Nenhum representante do povo está impedido de contribuir para o futuro do seu país", reforçou.O Parlamento, disse, respeitará todos os outros órgãos de soberania - e aqui referiu explicitamente a Presidência da República como um deles, além de, por exemplo, os tribunais - mas aos deputados incumbe também "o direito e o dever de exigir respeito pela soberania da Assembleia da República."Numa reunião plenária em que estiveram presentes todos os 230 deputados eleitos, Ferro Rodrigues foi eleito - por votação secreta - obtendo 120 votos. Registaram-se dois brancos. 108 votos foram para o candidato da coligação PSD-CDS, Fernando Negrão



dn