Sistema de controlo de navegação marítima é considerado eficaz. O principal problema é a falta de segurança de navios estrangeiros que passam junto à costa portuguesa




Cerca de 75 mil navios passam todos os anos junto à costa portuguesa, dos quais aproximadamente 20% (15 mil) transportam "cargas perigosas ou poluentes" -desde lixos até petróleo. Por questões de segurança, estes navios circulam nos corredores de navegação - criados para reduzir o risco de colisão entre navios e a congestão de tráfego - mais afastados do nosso território.Hélder Almeida, que durante 33 anos foi comandante da Marinha Mercante, explica que estes corredores "são uma espécie de autoestradas. Se o navio não seguir essas regras, haverá uma intervenção." Antes da existência deste sistema, lembra, "os navios passavam entre as Berlengas e Peniche, por exemplo, o que agora já não acontece." Nessa altura, Hélder Almeida recorda que, "cada um ia para onde queria e da maneira que queria, porque embora existissem regras, não existiam linhas de navegação."Este sistema veio "trazer ordem e segurança" aos navios que circulam na costa portuguesa. Os que transportam cargas perigosas ou poluentes têm de usar os corredores mais afastados. "É uma tentativa de minimizar os estragos, caso haja um acidente", aponta o também ex-inspetor de navios estrangeiros.



dn