O Tribunal Supremo de Pequim anunciou hoje a redução, de sete para cinco anos, da pena de prisão imposta à jornalista e crítica do Governo chinês Gao Yu, após ter ouvido o seu o apelo na terça-feira.




A deliberação final foi avançada por um dos advogados de Gao, Shang Baojun, através da sua conta numa rede social chinesa.


Há alguns meses, os advogados tinham advertido para a deterioração da saúde de Gao, que sofre de hipertensão e doença de Ménièré, um problema crónico que afeta o ouvido interno.
Com 71 anos de idade, Gao Yu, que se destacou como jornalista pelo acesso a fontes importantes, inclusive dentro do Partido Comunista Chinês (PCC), foi condenada em abril passado a sete anos de prisão por "revelação de segredos de Estado".
Segundo a sentença, Gao acedeu a um comunicado oficial designado "Documento número 9", difundido pelo PCC entre os seus membros, apelando a que atacassem uma série de "males", inclusive a democracia ou a liberdade de imprensa.


nm