«Existe o desejo de recolocar a Académica no lugar que merece» - Nuno Piloto

Depois de Marinho… Nuno Piloto. Dois dos capitães, duas das referências da Académica, e, certamente, dois dos pilares que o novo grupo de trabalho da Briosa terá na próxima época.

O médio, primeiro jogador em Portugal a atingir o grau académico de Mestre, foi o escolhido para falar aos jornalistas ao final da tarde deste sábado. Nuno Piloto, que renovou recentemente o seu contrato com os capas negras, dá conta da vontade premente de voltar a elevar bem alto o nome da Académica:

- Se no final da época passada as coisas não correram bem, existiu logo o desejo de recolocar a Académica no lugar que ela merece. Nem tudo foi resolvido rapidamente, também por causa das eleições, mas estou contente por ter renovado. Vamos ter de nos aperceber da realidade competitiva em que estamos inseridos e temos de estar motivados. Criar um grupo forte é fundamental e é essencial criar, desde os primeiros treinos, a união entre todos. Impressão de Costinha? Muito positiva. É unânime no seio do grupo a forma como estamos a encarar os treinos e as ideias do mister, com muita bola, com sentido do que pretende para a equipa. Julgo que as coisas não podiam estar a correr melhor e a resposta da nossa parte é de total aceitação. Como jogadores, tanto o Costinha como o Maniche tiveram um percurso notável, e nós, adeptos da Seleção, aprendemos a admirá-los e a respeitá-los. Temos de seguir os seus ensinamentos.

Outro dos temas em foco foi o regresso de elementos que, noutros anos, já envergaram a camisola dos estudantes. E Nuno Piloto sabe que isso também pesa.

«O regresso de alguns jogadores que já conhecem a Académica é positivo. Estamos numa nova realidade e é importante que haja quem já conheça a casa e se identifique com a camisola que veste», sublinhou.