Desde há uns anos para cá que a questão da eficiência energética passou a ser levada mais a sério.

Na área das tecnologias há cada vez mais equipamentos certificados que garantem um baixo consumo energético, levando os consumidores, na hora de compra, a escolher esses e não outros que apresentem consumos superiores.

Mas, de acordo com informações recentes, os fabricantes de TVs têm vindo a manipular os testes de eficiência energética.Saiba o que se está a passar.

samsung-tv_thumb.jpg

Os casos de manipulação de resultados, por parte dos fabricantes, não são propriamente uma novidade no mundo da tecnologia (e até do segmento automóvel). Esta Quarta-feira o NRDC, um grupo ambiental internacional sem fins lucrativos, revelou que há fabricantes de TVs a manipularem os testes de eficiência energética.

Segundo as informações, na lista negra está a Samsung, LG Electronics e a Vizio. As conclusões foram baseadas em análise de TVs de alta definição, com ecrãs que têm pelo menos 55 polegadas, produzidas em 2015 e 2016. As estimativas sobre os custos de energia são baseadas em TVs de alta definição com ecrã de 32 polegadas e superiores.

O estudo concluiu que as empresas terão explorado o sistema de testes para obter melhores pontuações ao nível do “EnergyGuide”. Estas pontuações podem, obviamente, influenciar as decisões dos consumidores na hora de compra de equipamentos eficientes.

energy-guide_thumb.jpg

Mas como é que os resultados são manipulados?

Segundo o grupo ambientalista, o Governo Americano, em concreto o Departamento da energia, usa o mesmo clip de 10 minutos, desde há 8 anos para cá para, para realizar os testes de eficiência. O clip consiste na apresentação, em sequência, de 260 cenas de curta duração. Com este cenário de teste, a TV mantém a luminosidade reduzida nas cenas, ao contrário do que acontece em cenas mais longas como num jogo de futebol, visualização de séries, etc.

Tendo como base os indicadores, o grupo ambiental internacional refere que os fabricantes ajustaram e tiram partido da ineficácia do clip em conseguir avaliar várias situações, conseguindo assim a certificação.

O porta-voz LG John Taylor escreveu entretanto que a empresa está “confiante de que os produtos estão sendo testados correctamente e estão de acordo com as certificações ao nível da eficiência energética.”. A Samsung refere ainda que as classificações obtidas pelo Departamento de Energia são baseadas nas configurações de fábrica (para a imagem), algo que a maioria dos consumidores nem sequer muda.

O Pplware continuará a acompanhar este caso que já é comparado por muitos ao escândalo das emissões da Volkswagen. Por agora as suspeitas estão apenas ao nível dos Estados Unidos.

Fonte