Não está habituado a treinar muito, vai a uma aula nova mais ‘puxada’ e passa os dois dias a seguir cheio de dores musculares?

Um estudo realizado pela Universidade de Queensland, na Austrália, parece ter descoberto a fisiologia do processo de recuperação dos músculos, o que pode explicar as dores musculares pós-treino.

O Dr. Bradley Launikonis, da UQ's School of Biomedical Science conta: "Descobrimos que o próprio músculo tem um mecanismo protetor que impede que o indivíduo se danifique mais nos dias após o exercício".

Depois de testarem as fibras musculares humanas de biopsias da coxa em três pontos do ciclo de exercício e mapearam a estrutura muscular antes de uma pessoa treinar, bem como 24 e 48 horas depois, os investigadores descobriram que a estrutura do sistema da membrana do músculo pode mudar drasticamente.

"Quando uma pessoa participa de exercícios a que não está habituado, os níveis de cálcio sobem e os músculos são propensos a danos", destacou o Dr. Launikonis, segundo reporta o Medical Express.

"É graças a pequenas cavidades dentro das fibras musculares onde o cálcio se acumula - chamadas vacúolos - que se reduz os danos que os elevados níveis de cálcio poderiam causar ao músculo vulnerável", explica o especialista.

Este processo acontece assim que o corpo é advertido para ‘ir com calma’. Sendo que a dor muscular é o aviso de que o corpo está cansado, que os músculos estão vulneráveis e que é hora de descansar.

Depois os vacúolos desaparecem até que o próximo treino extenuante ocorra. Segundo o especialista isto prova que os músculos humanos são muito adaptáveis e conseguem proteger-se.

IN:NM