A morte de Landon ocorreu há cinco anos, mas só agora a mãe teve coragem de falar publicamente sobre o sucedido, aproveitando para deixar conselhos a outras mães.

Jilian Johnson estava radiante com o nascimento do primeiro filho. Estávamos em 2012 e esta mãe de ‘primeira viagem’ preparou-se a rigor para a ocasião. Na companhia do marido Jarrod, Jilian até frequentou um hospital ‘amigo dos bebés’ focado na amamentação.


Porém, tal não foi o suficiente para evitar uma tragédia. Três dias depois de ter dado à luz através de cesariana, Jilian e Landon foram para casa. O menino não parava de chorar apesar de estar sempre a mamar, mas Jilian acreditava ser normal num bebé e, depois de questionar médicos e enfermeiros, mais convencida disso mesmo ficou.

Ainda assim foi a uma consulta de amamentação na qual lhe foi dito que poderia estar com problemas em produzir leite, pois havia-lhe sido diagnosticado a síndrome do ovário policístico. No entanto, ninguém lhe disse que deveria complementar a amamentação com outro leite.

Num texto emocionado escrito por Jilian no site Fed is Best, esta mãe, que tem agora dois filhos, Jilian contou que Landon continuou a chorar apesar de mamar várias vezes ao dia.

“Sabiam que não é suposto um recém-nascido estar sempre a chorar? É suposto ele comer, dormir e sujar fraldas”, escreve Jilian.

Mas 12 horas depois de terem sido enviados para casa, regressaram ao hospital, pois o bebé tinha sofrido uma paragem cardiorrespiratória.

Landon foi internado na unidade neonatal do hospital e foi ligado a um ventilador, mas acabou por morrer pois apesar de estar sempre a mamar, dos seios da mãe não saía leite para o alimentar. Landon sofreu danos cerebrais porque a falta de alimento diminuiu a sua pressão sanguínea, o que fez com que o cérebro não fosse devidamente oxigenado.

Volvidos cinco anos, Jilian e o marido têm dois filhos, mas não esquecem o pequeno Landon. "Partilho a minha história para que outras famílias não passem pela mesma perda que nós passámos", escreve.

No mesmo texto, esta mãe norte-americana alerta todas as suas homónimas para a necessidade de complementar a alimentação de um recém-nascido com um biberão, pois a partir da mama é impossível saber a quantidade de leite que o bebé está a receber ou não.

“Eu não fazia ideia de que ele estava inconsolável porque estava, literalmente, a morrer à fome”, lamentou Jilian.

IN:NM