O serviço de transporte da Uber tem sido muito contestado, principalmente, pela classe dos taxistas um pouco por todo o lado onde a empresa tenta entrar ou já está instalada há vários anos. Mas, por outro lado, os utilizadores de transportes vêem-na com bons olhos, apresentando-se como uma alternativa fiável e cómoda para as suas deslocações.

Com cerca de 40 mil motoristas na cidade de Londres, a empresa vê agora a sua licença para operar na cidade cancelada a partir do próximo dia 30 de setembro.

Qual o motivo desta decisão?

Em comunicado, um responsável da Transport for London referiu que esta entidade considera que a abordagem e a conduta da Uber demonstram falta de responsabilidade corporativa em relação a vários temas que têm impacto potencial ao nível da segurança pública.
Nestes argumentos, a Transport for London acusa a Uber de não reportar às autoridades delitos criminais e de falhar tanto na forma de recrutamento, quanto na exigência de certificação médica aos funcionários.
TfL has today informed Uber that it will not be issued with a private hire operator licence. pic.twitter.com/nlYD0ny2qo
— Transport for London (@TfL) September 22, 2017
Assim, a Uber, a operar em Londres desde 2012, terá 21 dias a partir de hoje para recorrer da decisão. A licença termina já no próximo dia 30, mas a empresa ainda poderá trabalhar até à decisão final do recurso.

A resposta da Uber

A Uber já comunicou que vai, obviamente, recorrer da decisão. Segundo a empresa, o fim desta licença irá afetar cerca de 40 mil motoristas, bem como os 3,5 milhões de londrinos que utilizam a aplicação dos transportes, restringindo assim as escolhas do consumidor.
Os 3,5 milhões de londrinos que usam a nossa aplicação e os mais de 40 mil motoristas da Uber vão ficar surpreendidos com esta decisão
Quanto às acusações da Transport for London, a Uber responde, através das palavras de Tom Elvidge, General Manager da Uber em Londres:
Os motoristas que viajam com a aplicação da Uber são licenciados pela Transport for London e passaram pelas mesmas certificações que os black cabs (táxis locais).
Mas há mais:
Seguimos sempre as regras da TfL ao relatar incidentes graves e temos uma equipa dedicada que trabalha em estreita colaboração com a Polícia Metropolitana de Londres.
A Uber opera, atualmente, em mais de 600 cidades do mundo, incluindo mais de 40, só no Reino Unido. A Uber acrescenta ainda que “esta proibição revelaria ao mundo que Londres está longe de demonstrar abertura para receber empresas inovadoras que trazem maior escolha aos consumidores.”