Zalando abre centro tecnológico em Lisboa no início de 2018 e vai desenvolver plataforma de moda da empresa fundada na Alemanha




A Zalando, a maior plataforma de moda online da Europa, vai abrir um centro tecnológico em Portugal, no início de 2018. A empresa alemã vai criar mais de 50 empregos logo no primeiro ano de operações e vai ajudar a desenvolver a experiência digital da loja de moda, de acordo com o anúncio feito esta sexta-feira nas instalações da Invest Lisboa, a agência de promoção do investimento da capital.

“Queremos estar onde se encontra o melhor talento, por isso, Lisboa foi uma escolha natural. A cidade atrair alguns dos melhores talentos graças à sua cultura vibrante, a educação de excelência e a soberba qualidade de vida”, adianta Rubin Ritter ao Dinheiro Vivo. O co-CEO da Zalando acrescenta que “há muitas oportunidades para estabelecer parcerias frutuosas com outras startups e empresas do mercado”.

Na primeira fase de recrutamento, serão contratados engenheiros de frontend e backend software, gestores de produto e designers UX (experiência do utilizador), tanto da indústria como de instituições académicas. Mas as contratações não vão ficar por aqui. “Mais para a frente, o nosso objetivo é contratar entre 100 e 150 pessoas”, antecipa Rubin Ritter.




Lisboa será o terceiro centro tecnológico internacional da Zalando, depois da abertura dos escritórios em Dublin (Irlanda) e de Helsínquia (Finlândia). Na capital, os funcionários da empresa alemã “vão estar focados em melhor a experiência das lojas online e nas aplicações da Zalando e ter um impacto importante no desenvolvimento do nosso produto principal”.

Apesar disso, não se espera que a plataforma da Zalando chegue a mais países. “Não planeamos alargar a nossa oferta para Portugal, mas já vendemos marcas portuguesas e colaboramos com produtores locais”, indica Rubin Ritter.

Fundada em 2008 em Berlim e disponível em 15 mercados europeus, a Zalando vende moda online para criança, homem e mulher de mais de 1500 marcas e dá emprego a mais de 1800 pessoas, de 50 nacionalidades diferentes.