Foi há cerca de um ano que a Microsoft e a Qualcomm iniciaram a sua parceria para trazer uma nova categoria de equipamentos que vão romper com todas as ideias e com todas as regras. Falamos dos PCs equipados com processadores ARM e com uma versão “normal” do Windows 10.


Ao longo dos meses esta ideia começou a ganhar forma e a ter as primeiras imagens disponibilizadas, culminando hoje com a apresentação das primeiras ofertas desta nova categoria. Os primeiros computadores assentes em processadores ARM foram apresentados e parecem cumprir o que todos esperavam.





Foi há poucas horas, na Qualcomm Snapdragon Tech Summit, que a Microsoft deu a conhecer aquelas que são as primeiras propostas numa área que para muitos é completamente nova.


Os computadores assentes no bem conhecido Snapdragon 835 foram revelados e estão nas mãos de 3 dos mais conhecidos parceiros da Microsoft.


Caberá à HP, Asus e Lenovo a responsabilidade de colocar no mercado dos primeiros equipamentos que a Microsoft designou como Always Connected. Com tempos de bateria elevados e com velocidades de ligação à Internet elevadas, estas máquinas querem ser o companheiro ideal para o dia-a-dia.







As primeiras ofertas com ARM e Windows 10



Por agora apenas a HP e a Asus mostraram as suas máquinas, o Envy x2 e o NovaGo, estando a Lenovo a ultimar a sua oferta. Qualquer uma destas máquinas garante mais de 20 horas de trabalho e 30 dias em standby, arranques instantâneos e velocidades de ligação à Internet gigabit.


Estes modelos vão ser na verdade versões aumentadas dos smartphones, adaptadas para esta nova realidade. Vão ser equipados com modems 4G LTE e não vão ter ventoinhas, graças à sua estrutura de construção.




Estas ofertas vão existir em versões de 4GB de RAM e 128GB de armazenamento e 8GB de RAM e 256GB de armazenamento, com preços a estarem situados entre os 800 e os 1000 dólares. Espera-se que cheguem durante a primavera.


Todas as máquinas vão vir equipadas com o Windows 10 S, correndo apenas apps da loja do Windows, tendo a possibilidade de serem atualizados para o Windows 10 Pro, tal como acontece atualmente nas máquinas “normais”.



A versão ARM do Windows 10


Uma vez que está um processador ARM presente, a Microsoft teve de tratar de todo o processo de conversão. Na verdade, todo o sistema e as apps vão correr na arquitetura x86, sendo feita a conversão em tempo real para o mundo ARM.


Por agora existe ainda uma limitação. Apenas apps de 32 bits podem ser usadas, estando a ser tratada a criação dos mecanismos para suportar a arquitetura de 64 bits. Não há também, naturalmente, suporte para virtualização e outras tecnologias proprietárias da Intel.







Claro que o poder de processamento destes processadores fica abaixo de muitas das propostas da Intel e da AMD, mas o Snapdragon 835 conseguirá dar conta do recado para a maioria das apps e das tarefas que os utilizadores vão necessitar.


Depois do desaire que foi o Windows RT, esta é a aposta clara da Microsoft numa nova filosofia que tem tudo para vingar e dar frutos. O Windows 10 está maduro e pronto a tomar de assalto outros nichos. A arquitetura ARM tem a vantagem óbvia de consumir muito menos energia e a integração de modems LTE de nova geração dão as velocidades de acesso à Internet que os utilizadores pedem.