Fotógrafo Paul Nicklen e equipa do grupo Sea Legacy gravaram vídeo nas ilhas de Baffin, no Ártico do Canadá. É uma cena que ainda o atormenta.



Paul Nicklen está a habituado a ver ursos devido à sua infância passada no norte do Canadá, fala em mais de três mil espécimes que terá já visto no seu habitat natural. Mas o urso polar que surge no vídeo que divulgou esta semana não lhe sai da cabeça, é uma cena que ainda o atormenta. Estava quase a morrer à fome."Nós ficámos ali a chorar, a filmar com as lágrimas a rolarem pelas nossas faces", disse uma entrevista ao site da National Geographic.




Questionado porque razão não tentou salvar o urso, Nicklen respondeu: "Claro que isso me passou pela cabeça. Mas não ando propriamente no bolso com uma arma tranquilizante ou 200 quilos de carne de foca".E explica porque razão fez este vídeo. "Quando os cientistas dizem que os ursos vão ficar extintos, eu quero que as pessoas percebam que é assim que tal vai acontecer. Os ursos vão morrer à fome", afirmou à National Geographic. "É uma cena que aperta o coração que ainda me atormenta, mas eu sei que precisamos de partilhar tanto o bonito como o angustiante se queremos derrubar os muros de apatia" escreveu no Instagram.De acordo com esta publicação, em 2002, um relatório do World Wild Life Fund já previa que as alterações climáticas poderiam eventualmente levar à extinção dos ursos polares, ou deixar esta espécie em risco.



dn