Se a Lenovo é muitas vezes acusada de incluir “software estranho” nas suas máquinas, desta vez a empresa chinesa é a vítima. De acordo com vários relatos de utilizadores, o novo Ubuntu 17.10 está a danificar a BIOS de PCs Lenovo e também de outras marcas como por exemplo Toshiba, Dell e Acer.




A Canonical teve conhecimento do problema e até removeu os links de download da sua distribuição.




São vários os utilizadores que nos últimos tempos se queixaram do facto da BIOS da sua máquina ter sido corrompida. Curiosamente, a maioria dos utilizadores tem máquinas da marca Lenovo mas há também alguns relatos de utilizadores com PCs Acer, Dell e Toshiba.
O problema não parece ser geral e afeta apenas alguns modelos. Por precaução, a Canonical removeu os links da sua distribuição mas entretanto já os voltou a disponibilizar.




De acordo com as informações, a culpa da BIOS estar a ser corrompida deve-se ao driver Intel SPI incorporado ao Kernel Linux 4.13 que vem com a última versão do Ubuntu e que entretanto a Canonical desativou da sua distribuição.


Confirmando-se que este seja um problema ao nível do Kernel do sistema, é provável que outras distribuições tenham o mesmo problema. No entanto, ainda não existem queixas.




Relativamente aos modelos de PCs afetados, aqui fica uma lista (que pode ser atualizada a qualquer momento).






  • Lenovo B40-70

  • Lenovo B50-70

  • Lenovo B50-80


  • Lenovo Flex-3

  • Lenovo Flex-10

  • Lenovo G40-30

  • Lenovo G50-70

  • Lenovo G50-80

  • Lenovo S20-30

  • Lenovo U31-70

  • Lenovo Y50-70

  • Lenovo Y70-70

  • Lenovo Yoga Thinkpad (20C0)


  • Lenovo Yoga 2 11″ – 20332


  • Lenovo Z50-70

  • Lenovo Z51-70

  • Lenovo ideapad 100-15IBY

  • Acer Aspire E5-771G

  • Acer TravelMate B113

  • Toshiba Satellite S55T-B5233