Os fumos de escape e de chaminés contêm elementos altamente poluentes, com destaque os nitróxidos (óxidos de azoto ou NOx). Dependendo da composição específica de cada um, podem contribuir para causar problemas ambientais, como chuva ácida, ou, a baixas altitudes, causar problemas de saúde nas pessoas. Mas a Universidade Friedrich Alexander, em Nuremberga, Alemanha, oferece uma solução.










Atualmente, os automóveis estão preparados para eliminar grande parte destes gases de escape, mas a equipa liderada pelo professor Markus Heinrich, do departamento de Química Medicinal, propõe uma forma mais barata e mais útil de reaproveitar estas substâncias.


Heinrich simulou a produção de nitratos de cobre, usando os nitróxidos, e conseguiu criar compostos que são usados em medicamentos para o tratamento de inflamações no aparelho digestivo.



Em laboratório, o processo criado pela equipa universitária consegue reduzir a concentração dos gases poluentes em 99,7 por cento, mas ainda tem que ser testado em aplicações industriais. Há também a desvantagem de, em concentrações maiores, o processo não ser apropriado para medicamentos, mas pode ser usado para a produção de corantes.