Depois da “nega” da AT&T, a fabricante chinesa vê agora ser apresentada uma proposta de lei que defende a proibição da utilização dos seus telefones pelos funcionários do Governo norte-americano.



O negócio da Huawei tem vindo a crescer em todo o mundo, excetuando nos Estados Unidos onde a fabricante chinesa está com dificuldades “em vingar”, apesar das “boas intenções”.Recentemente, a AT&T negou-lhe a oportunidade de vender o seu mais recente flagship através de operadora naquele mercado, sendo que essa é a principal via aquisição de dispositivos móveis para os norte-americanos.Os motivos da desistência não foram tornados oficiais, mas circularam rumores de pressões por parte de membros do Senado norte-americano, manifestando a sua preocupação em relação aos planos da Huawei.Agora o TechCrunch avança, precisamente, que foi apresentada uma proposta ao Senado que defende a proibição da utilização de telefones de fabricantes como a Huawei e a ZTE por funcionários das agências governamentais, apontando-se "razões de segurança".

De acordo com a publicação norte-americana, a proposta foi apresentada pelo republicano Michael Conaway, a mesma pessoa que lidera a investigação sobre a alegada interferência do Governo rda Rússia nas eleições norte-americanas.