O Homem Urso (Grizzly Man) é um documentário realizado em 2005, pelo realizador alemão Werner Herzog. O filme fala sobre a vida e a morte do ambientalista e amante dos ursos Timothy Treadwell.

Timothy Treadwell

Timothy Treadwell, de seu nome verdadeiro, Timothy Dexter, nasceu no dia 29 de Abril de 1957, em Nova Iorque, e foi um entusiasta dos ursos e ambientalista. Viveu seus 13 últimos Verões na costa do Katmai National Park, no Alasca. No final do 13º Verão, Timothy e a sua namorada Amie Huguenard de 37 anos, foram mortos e parcialmente devorados por um ou provavelmente dois ursos-pardos. Uma câmara de vídeo captou os sons de seus últimos momentos, indicando que Treadwell teria sido atacado primeiro. No entanto, o áudio do ataque nunca foi divulgado ao público.

A vida de Treadwell, seu trabalho e morte foram tema do
aclamado documentário de 2005, realizado por Werner
Herzog, intitulado "O Homem Urso" (Grizzly Man).

Infância

Nascido em Long Island, em Nova Iorque, Timothy estudou no colégio Connetquot, onde sempre foi considerado um aluno regular, sem notas muito boas nem muito ruins, e era a estrela da equipa de saltos ornamentais, apesar de ter publicado que era um órfão britânico nascido na Austrália. Encarou problemas com álcool e drogas na adolescência após, supostamente perder um papel na série "Cheers" para Woody Harrelson.

Interesse em ursos

De acordo com seu livro "Among Grizzlies: Living with Wild Bears in Alaska", Treadwell sobreviveu a uma overdose de heroína nos anos 80, e foi encorajado por um amigo para ir ao Alasca para observar ursos. Mais tarde, atribuiu sua recuperação ao relacionamento que tinha com os animais. Na primeira parte de cada ano que passava por lá, Timothy acampava numa área chamada "Big Green", uma área localizada em Hallo Bay, na Costa Katmai, enquanto que na outra parte, acampava num lugar chamado por ele mesmo de "Grizzly Maze", onde encontros com ursos eram muito mais prováveis e constantes.



Teve notoriedade nacional no começo dos anos 2000, sendo reconhecido por se aproximar muito desses animais, tocá-los e até brincar com eles. Durante suas estadias no lugar, Timothy gravou mais de 100 horas de filmagens e viajou por todo os Estados Unidos fazendo palestras e educando as crianças sobre os ursos. Participou de programas de televisão na Discovery Channel e deu entrevista no talk show "Late Show with David Letterman", além de também discutir suas experiências no "Dateline NBC". Junto com os amigos Jonathan Byrne e Jewel Palovak, fundou a "Grizzly People", entidade dedicada a proteger ursos e os habitats naturais em geral.

Morte

Em Outubro de 2003, Treadwell e sua namorada, Amie Huguenard, visitaram o Katmai National Park. No filme "O Homem Urso", Werner Herzog afirma que Amie temia os ursos e se sentia profundamente desconfortável na sua presença. Treadwell escolheu montar seu acampamento perto de um riacho de salmão, onde os ursos geralmente se alimentam no Outono. Visitou o parque no final do ano, numa época em que os ursos lutam para conseguir tanto alimento quanto possível antes do Inverno, e suprimentos de comida limitados os levam a ser mais agressivos que o normal.

Treadwell havia programado deixar o parque no seu horário habitual, mas teve um desentendimento com a companhia aérea e decidiu ficar mais tempo. Os ursos que ele tinha visto durante o Verão já tinham hibernado, o que ele não sabia era que de outras partes do parque, outros ursos estavam se movendo para a área onde estava. As últimas filmagens mostram-no vivo e também mostram um urso atrás dele, e um urso mergulhando no rio várias vezes por um pedaço de salmão morto. Treadwell mencionou na gravação que ele não se sentia totalmente confortável perto desses ursos.

Cerca de meio-dia de domingo, no dia 5 de Outubro de 2003, Treadwell falou com um sócio, em Malibu, na Califórnia por telefone via satélite. Não mencionou nenhum problema com qualquer urso. No dia seguinte, 6 de Outubro, os restos de Treadwell e Huguenard foram descobertos por Willy Fulton, o piloto de táxi aéreo, que chegou ao seu acampamento para ir buscá-los. A cabeça desfigurada do rapaz, a espinha dorsal e o antebraço direito ainda usando o seu relógio de pulso foram recuperados no local. Partes de Amie Huguenard foram encontradas perto do acampamento, parcialmente enterrado num monte de galhos e sujidade.

Um urso pardo macho foi morto por guardas do parque durante a tentativa de recuperar os corpos. Um urso jovem também foi morto pouco tempo depois, após ter sido perseguido pelos guardas do parque. A necropsia nos ursos revelou partes do corpo humano, tais como dedos e membros. Não está claro a partir de qualquer prova ou da gravação de áudio, se qualquer um desses dois ursos mataram o casal. Nos 85 anos de história Katmai National Park, este foi o primeiro incidente de uma pessoa ser morta por um urso.

Uma câmara de vídeo foi recuperada no local. Segundo a porta-voz do Alaska State Trooper, Greg Wilkinson, nenhuma imagem foi encontrada na fita. Este facto levou os guardas a acreditarem que o ataque teria acontecido quando a câmara estava na mochila ou durante a noite. A câmara havia sido ligada em algum momento antes do ataque, presumivelmente por Huguenard, mas a câmara registou apenas seis minutos de áudio. A fita é agora propriedade de Jewel Palovak. No documentário "O Homem Urso", o cineasta Werner Herzog ouve a gravação e em seguida, solicita a Palovak que a destrua. No seguimento da mini-série "The Grizzly Man Diaries", Jewel Palovak admitiu que ainda possui a fita, mas ainda não ouviu o seu conteúdo e disse que espera nunca fazê-lo.

http://www.dailymotion.com/video/x1puv2g

http://www.dailymotion.com/video/x1q5vlb

Fonte: Wikipédia.