No Dia Mundial da Internet Segura, que se assinala esta terça-feira, a Kaspersky Lab dá-lhe algumas dicas para ter uma palavra-passe segura. Muitas podem parecer óbvias, mas são ainda muitos os cibernautas que, sem querer, caem em erros que podem revelar-se perigosos.






É muita a informação privada que nos dias de hoje armazenamos nos nossos dispositivos PCs, smartphones, tablets, etc., motivo pelo qual se torna cada vez mais preponderante salvaguardar que toda essa informação está segura. E como é possível fazê-lo? Com uma palavra-passe segura.




A pensar na segurança dos cibernautas, e porque hoje, dia 6, se assinala o Dia Mundial da Internet Segura, a Kaspersky Lab quer dar uma ajuda “aqueles que caem em erros básicos” e que deixam vulneráveis “os seus emails, contas bancárias, arquivos pessoais e outras informações valiosas”.


“As melhores palavras-passe não podem ser encontradas num dicionário e têm de ser compostas por maiúsculas e minúsculas, sinais de pontuação e números. A grande maioria (...) que temos de utilizar no nosso dia a dia não nos facilita a vida", destaca Alfonso Ramírez, diretor Geral da Kaspersky Lab Iberia.


Como criar uma palavra-passe segura?


Há algum tempo, uma palavra-passe de seis caracteres era segura, atualmente, "os utilizadores devem criar combinações de pelo menos oito caracteres, ainda que seja melhor que tenham uma dimensão de 15”. Isto está relacionado com “as técnicas de verificação em passos, os leitores de impressões digitais dos smartphones, os CAPTCHA e outras medidas de segurança”.


Muitos utilizadores acreditam que as suas palavras-passe são seguras e, por isso, a Kaspersky Lab propõe o serviço Secure Password Check. Esta será a forma de comprovar quanto tempo demoraria um hacker a descobrir e aceder a toda a informação do utilizador.


Dez dicas para uma palavra-passe mais segura?


1. Evite a utilização de palavras lexicalizadas, nomes próprios ou outro tipo de combinações. “Por isso, as seguintes palavras-passe nunca serão uma boa opção: 1234567, dragão, deixameentrar ou qwerty”;


2. Não utilize palavras estrangeiras, por exemplo, em inglês. “Os hackers têm dicionários especiais que contêm estas combinações e, como tal estes métodos não têm qualquer tipo de segurança”;


3. Deve criar palavras-passe seguras mas de fácil memorização. “É difícil recordar combinações que não significam nada, por isso será mais fácil recordar símbolos e números que tenham algum tipo de significado”;


4. Escreva-as muitas vezes. “A certo momento já serão escritas quase de forma automática, sem pensar no que vem a seguir. Além disso, quanto mais rápido forem escritas, maior será a proteção no caso de alguém estar a olhar”;


5. Deve ter sempre números e caracteres especiais, para além das letras maiúsculas e minúsculas;


6. Nunca partilhe as palavras-passe nem o método utilizado para criá-las;


7. Se a utilização do PC ou tablet for partilhada, a palavra-passe não deve ser partilhada, o melhor será criar várias contas, uma para cada utilizador;


8. Não é suficiente ter apenas uma ou duas palavras-passe seguras para todas as contas. Deve ser utilizada uma para cada conta que o utilizador tenha, especialmente no que ao email, conta bancária online e redes sociais diz respeito;


9. É aconselhável ter uma verificação de dois passos, além das palavras-passe tradicionais, naquelas que são as contas mais importantes.




10. Se não se quer preocupar com estas questões, fique a saber que já existe um software especial, como por exemplo, “o Kaspersky Total Security” que tem incorporado um gestor de palavras-passe - o Kaspersky Password Manager, com o qual é possível criar e armazenar de forma segura todas as palavras-passe. Funciona em todas as plataformas habituais, como PC, Mac, Android e iOS.






nm