Primeiro-ministro do Líbano diz que medida promove a coexistência entre muçulmanos e cristãos.







Três adolescentes muçulmanos libaneses insultaram o cristianismo, um crime que no Líbano pode ser punido com prisão. No entanto, os jovens tiveram uma pena diferente e até um pouco original.



A juíza Joceline Matta considerou os jovens culpados de “ofensa religiosa” depois de estes terem insultado a Virgem Maria, considerada a mãe de Jesus Cristo. Como sentença, os três adolescentes foram condenadas a aprender suras (capítulos) do Corão que falam sobre a importância de Maria.



Esta decisão, segundo a juíza, foi uma forma de demonstrar que a lei “é uma escola e não uma prisão”.



Agora, par ficarem livres do crime, os jovens terão de aprender vários versos da sura Al-Omran. Para o Islão, Jesus é um profeta de Alá e a Virgem Maria é referida diversas vezes no livro sagrado para os muçulmanos.




A sentença fora do habitual foi bastante elogiada no Líbano com várias figuras públicas e políticos a manifestarem o seu apoio. O primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, disse, citado pelo The Independent, que esta decisão foi o “epítome da justiça” e que promove a coexistência entre muçulmanos e cristãos “através do ensinamento de ideias comuns” entre religiões.




nm