No mesmo dia em que a RTP anunciou que não estará na corrida pelos direitos de transmissão dos jogos da Liga dos Campeões a partir da próxima temporada (2018-19), o presidente do canal público assinou uma parceria com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) referente aos direitos das partidas da Taça de Portugal e da Supertaça, até 2020. No total, a estação irá emitir dez jogos por época da segunda maior competição nacional, para além de duas partidas da Supertaça e ainda os cinco jogos de preparação da selecção nacional para o Mundial da Rússia.

Sem Champions “caçam-se” as audiências do futebol com a doméstica e economicamente bem mais acessível Taça de Portugal. “É um conteúdo icónico em que só era transmitido [pela RTP] a final”, lembrou Gonçalo Reis, que promete dinamizar a competição, com a produção de programas nas localidades onde serão disputados os 10 jogos em questão - a partir da terceira eliminatória e até às meias-finais, a que se juntam ainda a final desta competição e duas edições da Supertaça portuguesa. As partidas serão também disponibilizadas através dos canais internacionais da RTP.

Fernando Gomes, presidente da FPF, não quis adiantar os valores envolvidos neste acordo, mas acredita que o actual bolo de 3,5 milhões de euros de receitas que a Taça de Portugal gera, entre transmissões televisivas, patrocínios e publicidade, poderá ser superado.

A par da Taça de Portugal e Supertaça, a RTP garantiu também os direitos de transmissão dos cinco jogos particulares que a a selecção nacional irá disputar antes do arranque da fase final do Mundial na Rússia: Portugal-Egipto (23 de Março); Portugal-Holanda (26 de Março); Portugal-Tunísia (28 de Maio); Bélgica-Portugal (2 de Junho) e Portugal-Argélia (7 de Junho).


IN:PUBLICO