A professora de Psicologia revelou que há uma relação entre a qualidade da vida sexual e a duração do sono. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista The Conversation.

Mintz apontou que um em cada três norte-americanos adultos não dorme horas suficientes. E que 31 por cento dos homens e 45 por cento das mulheres estão insatisfeitos com a sua vida sexual.

A investigadora acredita que estes indicadores estão interligados. E não apenas porque as pessoas dormem e fazem sexo, geralmente, no mesmo lugar — na cama. Mas também porque mau sexo e mau dormir têm as mesmas causas — o stress e a ansiedade.

Segundo Mintz, as pessoas entram num círculo vicioso: mau sexo leva a problemas no sono e estes, por sua vez, diminuem o desejo sexual. Pelo contrário, bom sexo garante bom sono.

A pesquisa mostrou que, para as mulheres, apenas uma hora extra de sono fez com que 14 por cento das participantes tivessem uma melhor experiência sexual no dia seguinte.