Penso que quase toda a gente já sentiu um tremor recorrente no olho, durante o que é geralmente um curto espaço de tempo", diz o médico Wayne Cornblath, professor de oftalmologia no Kellog Eye Center, na Universidade do Michigan, nos Estados Unidos, em declarações à revista TIME.

A sensação abrupta e incontrolável de tremor na zona da pálpebra é sem dúvida incómoda, mas regra geral desaparece após uns dias ou mesmo numa questão de minutos.

Para se livrar dessa sensação de tremor, Cornblath recomenda que reduza a ingestão de cafeína. Um estudo conduzido pela Universidade de York, no Canadá, demonstrou que a cafeína propicia a libertação de neurotransmissores excitatórios, tais como a serotonina e a noradrenalina, que aumentam a atividade dos músculos e dos nervos.

Dormir pouco também contribui para o tremor, de acordo com o oftalmologista, apesar dos motivos do ponto de vista médico ainda não serem evidentes.

O stress é outro fator. “Quando estamos stressados ou ansiosos produzimos mais epinefrina, uma molécula associada aos instintos mais básicos de sobrevivência do organismo e que deixa o corpo num estado máximo de alerta. Este tipo de excitação pode manifestar-se em pequenas contrações ou espasmos, tais como os que se dão na zona ocular”, explica a médica oftalmologista Rebecca Taylor.

Nos casos mais raros, quando o tremor não passa independentemente dos indivíduos alterarem o seu estilo de vida, Cornblath afirma que um tratamento com Botox poderá resolver temporariamente o problema. Já que impede a conexão dos músculos e dos nervos.

Cornblath e Taylor alertam que caso a tremura se espalhe do olho para outras partes do corpo, os afetados deverão procurar um médico. “Se está a experienciar espasmos na cara e no pescoço consulte o seu oftalmologista. Deverá fazer o mesmo se o tremor na zona da pálpebra durar há vários meses”, alertam.


IN:NM