No ano passado, um estudo científico publicado no periódico American Osteopathic Association fez as manchetes de todo o mundo ao referir que o uso de protetor solar pode ser em parte o culpado pela deficiência generalizada de vitamina D, que atualmente afeta milhões de pessoas em todo o mundo.



A pesquisa polémica suscitou inúmeras questões, tendo em conta que utilizar consistentemente protetor solar é um dos conselhos mais comuns recomendados pelos médicos dermatologistas.

Deverá a falta de vitamina D – que pode levar ao enfraquecimento dos ossos e que foi associada com a resistência à insulina, pressão arterial elevada e o enfraquecimento do sistema imunológico, entre outros problemas – ofuscar anos de alertas e de recomendações?

Não, de acordo com a médica norte-americana Victoria Werth, professora de dermatologia e de medicina na Universidade da Pensilvânia. “Estamos demasiado preocupados com a carência de vitamina D, porém o risco de contrair cancro da pele é muito maior e mais alarmante do que a falta daquela substância”, afirma.

O cancro da pele, é atualmente um dos cancros mais comuns no mundo inteiro. Só nos Estados Unidos são anualmente diagnosticadas cerca de 76 mil pessoas com a patologia potencialmente fatal. Já em Portugal surgem, anualmente, cerca de 700 novos casos de melanoma maligno.

Dado o facto de ser tão comum, Werth alerta que prevenir o aparecimento de cancro da pele deve ter prioridade relativamente à carência de vitamina D, sobretudo porque é possível receber aquele composto através de suplementos e da dieta. Alimentos como o peixe, a gema do ovo ou cogumelos são ricos em vitamina D.

Mais ainda, Werth garante que a conceção de que utilizar protetor solar bloqueia totalmente a absorção de vitamina D é de facto um mito.

“Cerca de 2% a 7% de luz solar continua a ser absorvida pela pele, dependendo do fator de proteção (FPS) usado”, explica a médica. “Se por exemplo, alguém utilizar FPS de valor 15, então apenas cerca de 93% dos raios são bloqueados, e é absorvida luz solar suficiente que garante os níveis ideais de vitamina D no organismo”, afirma Werth.

Passar cerca de uma hora por dia exposto ao sol, enquanto usa um FPS de índice 15, é suficiente para apanhar a vitamina D que precisa, acrescenta. Se opta por não usar protetor solar (o que de acordo com a opinião médica geral não deve fazer), então são necessários somente 10 minutos para se abastecer com aquele composto.

Agora já sabe!

IN:NM