Depois de uma noite de copos, que resultam em dor de cabeça, boca seca e mau estar no dia seguinte, tudo o que não quer é ver-se num cenário de treino, em que tem de praticar diversos exercícios que lhe exigem demasiado esforço.

Se esta é a realidade para muitos, para outros também é comum a noção contrária, como prova um estudo produzido em 2014 de onde se conclui que o fim de semana, por ser a altura em que estamos mais livres, é quando praticamos mais exercício físico. Contudo, pelo mesmo motivo, é também ao fim de semana que mais vamos a festas e permitemo-nos abusar um pouco no álcool. Além disso, há quem defenda o mito de que suar muito é bom para ‘limpar’ o corpo após o excesso de álcool.

Esclarece o Independent que o mito não passa disso mesmo, uma ideia errada. Pelo contrário, o maior causador da indisposição que se sente na ressaca deve-se à desidratação – no corpo e no cérebro. Ao praticar exercício físico, vamos suar e inevitavelmente perder ainda mais água no organismo. O resultado? Uma menor resistência no treino e maior probabilidade de lesão.

Além disso, o álcool retrai a produção de proteínas sintéticas – processo biológico de criação de proteína. Ao dificultar este processo natural, torna-se difícil para o corpo reconstruir as fibras musculares que após um esforço de treino são, em casos normais, reconstruídas.

Por isso, se abusou nos copos e não se sente bem, o melhor é recuperar com água e muito descanso. É claro que, falando de diferentes níveis de ressaca, em casos menos agressivos algum exercício pode pelo contrário ser-lhe benéfico, como por exemplo uma caminhada ao ar livre.

IN:NM