Embora não se conheça o verdadeiro motivo por que se desenvolve o autismo, cientista acreditam que a síndrome deve-se a uma desordem neurológica causada por vários fatores, que podem ser de origem genética (hereditária ou por mutação) ou ambiental.

O motivo pode também advir da inflamação de células cerebrais que desequilibram o sistema imunitário da criança, como falamos aqui. É por isso que, no exame de sangue agora apresentado na publicação ‘Bioengineering & Translation Medicine’, analisam-se os metabólicos (substâncias produzidas pelo próprio metabolismo) da amostra de sangue recolhida. Da análise, prevê-se a possibilidade de tal teste detetar o autismo com 88% de precisão em apenas 22 metabólicos.

Com esta forma de deteção, é possível diagnosticar o problema em crianças entre os 18 e 24 meses de idade, ao contrário dos testes anteriores que apenas conseguiam identificar o problema a partir dos 4 anos de idade.

Quanto à aplicação desta técnica na medicina, ainda não é possível prever para quando acontecerá. Ao site Veja, os autores do estudo avançam apenas que “esta é uma abordagem que gostaríamos de ver avançar em ensaios clínicos e em testes comercialmente disponíveis”.

IN:NM