Ao que parece existe um motivo para tal acontecer e não tem a ver com a chuva em si. Essas enxaquecas súbitas devem-se sim à pressão sentida na atmosfera, nomeadamente se a pressão for baixa.

Segundo a publicação Scientific American, um grupo de cientistas analisou mais de sete mil pacientes, num centro médico em Boston, nos Estados Unidos, diagnosticados de sofrerem com enxaquecas, entre os anos 2000 e 2007.

Ao mesmo tempo, que examinavam dados provenientes da agência de clima National Weather Service, de modo a monitorizarem a incidência de flutuações na temperatura, humidade e pressão barométrica, nas primeiras 72 horas após a visita de cada paciente.

Para além de apurarem que o aumento da temperatura aumentava igualmente as chances de enxaquecas, descobriram ainda que o risco de sucedimento de dores de cabeça subia em média 6% por cada cinco milímetros de pressão barométrica.

A pressão barométrica baixa pode provocar enxaquecas ao criar por sua vez uma pressão distinta entre os seios perinasais – que se encontram repletos de ar – e a atmosfera envolvente.

E como é que esse processo está relacionado com o tempo chuvoso? Ora, a pressão reduzida está estritamente ligada à ocorrência de tempestades.

Pelo menos agora já sabe...

IN:NM