Aquela pesquisa apurou que quem come mensalmente até três tabletes de chocolate apresenta um menor risco de ser afetado pela condição potencialmente fatal.

Os investigadores concluíram que a ingestão moderada da guloseima diminui as chances de ocorrência de insuficiência cardíaca em 13%, comparativamente a quem não come de todo chocolate.

Os cientistas da instituição de ensino superior Icahn School of Medicine at Mount Sinai, em Nova Iorque, afirmam que os compostos naturais do cacau, denominados de flavonóides, estimulam a saúde dos vasos sanguíneos e ajudam a reduzir a inflamação do organismo.

Todavia, alertam para o consumo excessivo de chocolate, já que satisfazer esse desejo diariamente aumenta por sua vez o risco de insuficiência cardíaca em 17%.

O líder do estudo, o médico e professor, Chayakrit Krittanawong, afirma que a popular guloseima deve ser ingerida em pequenas quantidades.

E disse: “Recomendo o consumo moderado de chocolate negro – pequenas porções são benéficas para a saúde como um todo”.

A pesquisa inédita foi apresentada na conferência da Sociedade Europeia de Cardiologia, em Munique, e baseia-se em diversos estudos que no total envolveram a observação de 575 mil indivíduos.

IN:NM