Muitos apreciadores de gastronomia torcem o nariz àqueles que usam e abusam do ketchup. Mas ao que parece este alimento tem muito que se lhe diga e até 'super poderes'.



Os sintomas de cancro no estômago incluem indigestão e azia, entre outros (saiba mais aqui). Todavia, é possível reduzir drasticamente o risco de desenvolvimento desta doença gástrica através de algumas mudanças alimentares.

Aliás, e surpreendentemente, os amantes de ketchup tem finalmente um motivo para se regozijarem.

De facto, os cientistas acreditam que comer aquele condimento ajuda a proteger o organismo de contrair cancro do estômago.

Um grupo de investigadores da Universidade Politécnica de Valência, em Espanha, observou os efeitos do lipoceno no organismo.

Aquele antioxidante encontra-se presente no molho de tomate e os académicos creem que é capaz de aumentar os níveis de bactérias saudáveis presentes no intestino.

Surpreendentemente, o lipoceno é mais potente no molho do que no fruto fresco.

Tal acontece devido ao processo de cozedura, que permite uma melhor absorção daquele antioxidante pelo corpo.

Aumentar os índices de ingestão de bactérias saudáveis apresenta inúmeros benefícios para a saúde – podendo até, segundo os cientistas espanhóis, reduzir a possibilidade de ocorrência de cancro gástrico.

Estudos anteriores já tinham demonstrado que o tomate inibe o crescimento de células cancerígenas, contribuindo para repelir a doença.

Apesar da pesquisa estar ainda num estado inicial, os especialistas esperam que os dados apurados possam ser úteis em futuros tratamentos direcionados para o cancro do estômago.

O cancro gástrico é a segunda maior causa de morte relacionada com o cancro em todo o mundo. É estimado que ocorram 650 mil mortes e 880 mil novos casos deste tipo de cancro por ano, sendo que dois terços ocorrem em países em desenvolvimento.

Portugal conta com o maior número de mortes por cancro do estômago da União Europeia, e é o sexto país a nível mundial.

IN:NM