É ao guardá-lo mal que o queijo mais perde as suas qualidade, mas este é também o erro mais cometido no que diz respeito a este alimento.



É a perdição de muitos, que não prescindem de o comer ao pequeno almoço, num petisco ou mesmo como sobremesa.

Mas para que não o desperdice ao ter de o deitar fora por estar estragado, há regras a seguir e cinge-se basicamente a uma ideia: nada de plástico.

Por ser um alimento vivo, o queijo não deve estar guardado em plástico, que impede a respiração. Mesmo os queijos que são comprados em vácuo, devem ser transferidos para um papel adequado. Caso contrário, arrisca-se a que o queijo ganhe demasiada humidade – pela transpiração retida – e apodreça muito mais rapidamente. Em vez disso, o ideal será envolver o queijo em papel perfurado e aí sim, guardá-lo no frigorífico.

Do mesmo modo, deve evitar o papel de alumínio que impede a transpiração e respiração do queijo, tal como acontece com o plástico.

Por fim, um tupperware também não deve ser opção, pois não deixa de ser plástico e embora não condicione tanto o queijo, impede a respiração – é por isso que fica rapidamente duro e curado, após o qual apodrece.

Dito isto, o melhor será, em todos os casos, envolver o queijo em papel perfurado e colocá-lo no frigorífico. Se quiser evitar cheiros e condicioná-lo dos restantes alimentos, pode guardá-lo (com o papel) dentro de uma caixa, desde que seja de vidro ou alumínio.

IN:NM