Portugal vence na Polónia e reforça liderança do Grupo 3



Entrar a perder, sair a ganhar. Portugal reforçou esta quinta-feira a liderança do grupo 3 da Liga das Nações, ao vencer na Polónia (2x3). A equipa das quinas cedeu na etapa inicial num lance de bola parada, que permitiu aos polacos chegarem à vantagem, mas conseguiu operar uma reviravolta com selo de qualidade.

André Silva, um auto-golo de Glik e Bernardo Silva materializaram a cambalhota no marcador em Chórzow. Kuba ainda reduziu, mas o tento do médio do Wolfsburgo foi insuficiente para roubar a vantagem à equipa portuguesa.

Depois de marcar em todos os encontros oficiais realizados até ao momento ao serviço do emblema italiano, faltava o golo pela seleção… Não foi preciso esperar muito. Aos 18 minutos, uma desatenção da defesa portuguesa deixou Piatek à vontade para subir ao segundo andar e desviar o canto batido na direita do ataque da Polónia para o fundo das redes de Patrício.

A resposta lusa não tardou e depois de algumas boas jogadas coletivas que não tiveram a finalização desejada pelos homens de Fernando Santos, eis que uma triangulação entre Bernardo, Cancelo e Pizzi resultou num cruzamento do atual médio do Benfica para um remate certeiro do Pichichi André Silva (entenda-se do melhor marcador da liga espanhola).

Portugal consumou a reviravolta ainda na primeira parte, dando mais uma mostra da sua superioridade em campo, com um passe sublime de Rúben Neves e um trabalho fantástico de Rafa Silva – grande novidade no onze – a culminar no desvio fatídico de Glik para lá da linha da própria baliza.

A infelicidade do central polaco premiava a construção ofensiva e a eficácia de Portugal e dava confiança para o campeão europeu.

Brilhante! Era difícil começar melhor a segunda parte. William Carvalho entregou a bola ao criativo Bernardo Silva e o jogador do Manchester City, tantas e tantas vezes elogiado por Pep Guardiola, espalhou perfume numa diagonal deliciosa antes de rematar para golo. Fabianski fica mal na fotografia, mas o trabalho do camisola 10 é soberbo.

O selecionador polaco reagiu à passagem da hora de jogo com substituição dupla e colheu um fruto apenas pouco depois da entrada de Kuba. O extremo do Wolfsburgo reduziu a desvantagem à passagem do minuto 76, alimentando assim a esperança da Polónia, mas a vitória não viria a escapar a Portugal.

Renato Sanches teve ainda tudo para fazer o 2x4, contudo, depois de ultrapassar Fabianski, demorou demasiado tempo a rematar e viu Tomasz Kedziora negar-lhe o segundo golo com a camisola da Seleção A.

Com este triunfo, Portugal passa a somar seis pontos, em dois jogos na Liga das Nações, enquanto a Polónia e a Itália seguem empatadas apenas com um ponto. E faltam apenas dois jogos para o final da fase de grupos.

ZeroZero