1. #1
    Avatar de Underslave
    Registo
    Jun 2016
    Posts
    501

    Padrão 1º ALMADA TIMBRADO SHOW-Clube Ornitologia Almadense







    [h3]1º ALMADA TIMBRADO SHOW - FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO [/h3]



    [img(200px,200px)]https://2.bp.blogspot.com/-6xpatt8v4Ho/W_VvvYkncsI/AAAAAAAAAXM/QjgAk7PGL9QGnX9ts-FTAGgHya0P86QQwCLcBGAs/s200/coa.jpg[/img]

    1º ALMADA TIMBRADO SHOW - 2018




    FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO




    NOME:_____________________________________________ ______________________________


    MORADA:___________________________________________ _____________________________________

    LOCALIDADE: ____________________________ C.POSTAL: _______-__________________

    ______________________

    TELEM. ________________________

    EMAIL: __________________________________________________ _

    Nº DE CANÁRIOS : __________

    CLUBE:_________________________________________

    FEDERAÇÃO: ________________

    à(s) novembro 21, 2018 Sem comentários: Hiperligações para esta mensagem
    Enviar a mensagem por emailDê a sua opinião!Partilhar no TwitterPartilhar no FacebookPartilhar no Pinterest
    Etiquetas: Almada, Criadores de canários de canto de Almada, Criadores de canto de España, España, Portugal Almada


    [h3] REGULAMENTO I CONCURSO TIMBRADO ESPANHOL - COA 2018 [/h3]





    Art.º 1 Podem participar no concurso todas aves nascidas no ano em curso com anilha oficial COM, se este requisito não se cumprir, as aves serão desclassificadas.


    Art.º 2 Podem participar nesta edição sócios do Clube Ornitológico Almadense, com as suas quotas em dia, os sócios de outros clubes e federações que sejam convidados por este comité organizador ou que solicitem participar e sejam admitidos.


    Art.º 3 Os canários a concurso participam em EQUIPA (de quatro exemplares) classe C1 em INDIVIDUAL (de 1 a 3 exemplares) classe C2 e em DÚO (de 1 a 2 exemplares) classe C3


    O preço por cada ave (não sócios 3,00 euros), para os sócios de COA será de 2,00 euros. É obrigatório que todas as aves de cada lote sejam do mesmo criador. O canário que participe numa categoria não poderá participar noutra.


    Art.º 4 Cada participante poderá participar com o número de lotes que quiser.


    Art.º 5 INSCRIÇÃO:


    5.1.- É absolutamente OBRIGATÓRIA a pré - inscrição para poder participar no concurso.


    5.2.- O pagamento realiza-se mediante transferência na conta bancária do Clube Ornitológico Almadense, NIB PT 50001800034318679002034 até ao dia , (enviar email com comprovativo de pagamento o numero de sócio e nome do clube a que pertence). Em dinheiro na sede.


    Art 5.3 É proibido gravar o canto das aves e filmar ou tirar fotos durante os julgamentos e uso de telemóvel. A comissão organizadora poderá expulsar da sala o infractor.


    5.4. Para realizar a pré-inscrição contactar:

    clube.o.almadense@gmail.com


    Art.º 6 JULGAMENTO:


    6.1.- As aves concorrentes serão entregues aos responsáveis da organização, as quais serão colocadas em local próprio, seco, bem ventilado, e mantidas em semi-obscuridade, donde ninguém poderá movimentá-las, vigiá-las ou segui-las, excepto a organização.


    6.2.- O julgamento realiza-se à porta aberta, no dia (a preencher), podendo assistir os participantes e qualquer pessoa que esteja interessada. Devendo permanecer em total silencio e abster-se de realizar qualquer comentário durante o julgamento das aves.


    6.3.- O tempo de julgamento será de 15 minutos por lote, sendo o mesmo igual para todos.


    6.4.- A ordem de julgamento realiza-se por ordem de inscrição. Os participantes poderão saber do seu horário contactando o responsável da organização.


    Art.º 7 A recepção das aves será a (a preencher). Após os julgamentos, as aves poderão ser retiradas pelo criador, já que não haverá exposição dos mesmos.


    Art.º 8 PRÉMIOS:


    Art. 8.1.- Por cada secção haverá 3 prémios tanto em equipas como em individual e duo.


    Art. 8.2.- Haverá um prémio especial, da melhor ave do concurso. Caso haja empate na pontuação será desempatado pelo regulamento do canário timbrado espanhol .


    Art.º 9 As fichas de julgamento serão entregues no final do concurso.


    Art.º 10 A entrega de prémios realiza-se no final do Concurso no pavilhão sede do clube.


    Art.º 11 DISPOSIÇÕES GERAIS:


    11.1 A organização não se responsabiliza por qualquer acidente anómalo que possa decorrer durante a exposição (Ex: roubo; doença; morte; etc…).


    11.2 – Em caso de doença ou morte poderá ser ordenada a retirada da ave, por indicação da organização, ou a sua remoção para local próprio.


    11.3 – Os casos omissos, serão decididos pela Direcção da organização.


    NOTA: Todos os valores mencionados, inscrições de aves, revertem para os custos da organização desta exposição.


    Art.º 12 A participação neste concurso implica a aceitação do presente regulamento por parte dos criadores/expositores.


    Art.º 13 Por circunstâncias excepcionais, a comissão organizadora poderá alterar o regulamento do presente concurso.


    Art-º 14 É absolutamente proibido a entrada do criador na sala de espera dos canários, para poder solicitar a retirada ou audição dos seus exemplares deverá solicitar á comissão organizadora, o não cumprimento desta norma poderá levar á exclusão do concurso.


    Art.º 15 O assistente ou participante deste evento organizado pelo Clube Ornitológico Almadense, que incumpra as normas, aqui descritas, será alvo de um processo disciplinar interno que poderá levar à expulsão de sócio como á proibição de participar ou assistir a próximos concursos do Clube Ornitológico Almadense.


    Email: (clube.o.almadense@gmail.com)


    A Comissão Organizadora
    Clube Ornitológico Almadense


    Feijó, 18 de Novembro de 2018
    Última edição por Underslave; 22-11-2018 às 20:13.

  2. #2
    Avatar de Underslave
    Registo
    Jun 2016
    Posts
    501

    Valorização do canto - continuação

    1.1. Timbres.

    Os timbres são giros/gorjeios de ritmo continuo e timbre ou sonoridade metálica, formados pela
    consoante “R” e a vogal “I” (ex. : ririririririri...).

    Valor positivo: até 3 Pontos.

    Giros/Gorjeios................Timbres

    Ritmo Emissão............... continuo

    Sonoridade.....................Metálico

    Texto fonético.................Limitado

    CONSOANTES E VOGAIS ....................Consoante R e Vogal I

    EXEMPLOS........................................Ri riririririri

    PONTOS........................................... até 3 PONTOS

    1.2. Variações Rodadas.
    As variações rodadas são giros/gorjeios de ritmo continuo, timbre ou sonoridade oca e o texto fonético limitado em que intervém a consoante “R” e as vogais “E”, “O” e “U”(ex.: rororororo...; rururururururu....).

    Nestes giros/gorjeios a cadencia da emissão das sílabas é maior que nos timbres de ritmo continuo, motivo pela qual a sensação de continuidade e som rodado consegue-se de maneira mais perfeita.

    A duração e presença deste tipo de giros/gorjeios no canto do Timbrado deve ser prudencial, já que o abuso na emissão de sons de carácter oco e rodado pode constituir causa de desqualificação segundo o disposto no ponto correspondente deste Código.


    Valor positivo: Até 6 Pontos.

    GIRO- Gorjeio ..............................VARIAÇÕES RODADAS
    RITMO..........................................EMI SSÃO CONTINUA
    SONORIDADE...............................OCA

    TEXTO FONÉTICO LIMITADO

    CONSOANTES E VOGAIS ..........Consoante R
    ...........Vogais E ,O, U

    EXEMPLOS:

    Rororororo..
    Rururururu...


    PONTOS.................................. Até 6 PONTOS


    1.3. Timbre de Agua – Blibleo.

    O Timbre de agua ou Blibleo é um gorjeio/giro semicontinuo, timbre ou sonoridade aquosa e texto fonético limitado formado pelas consoantes “B” ou “G” unidas na consoante “L” e a consoante “W” e a vogal “I” (ex.: blibliblibli...). Apesar de ter ritmo de emissão semicontinuo, a cadencia adequada será aquela que nos permita perceber claramente as consoantes e as vogais típicas do gorjeio=giro, no caso contrário a dicção confunde-se e perde-se parte da sonoridade aquosa. O som aquoso é o que dá personalidade própria a este gorjeio e justifica o seu carácter de timbre especializado.


    Valor positivo: Até 6 Pontos.

    GIRO/GORGEIO ............................T. AGUA BLIBLEO
    RITMO ..........................................EMISSÃO SEMICONTINUO
    SONORIDADE.................................AQUOSA
    TEXTO FONÉTICO...........................LIMITADO

    CONSOANTES E VOGAIS
    Consoantes B, G, L,W
    Vogal I

    EXEMPLOS
    Blibliblibli...
    Gligligligli...


    PONTOS............................................ .. Até 6 PONTOS

    1.4. Cascavel = sineta.

    O Cascavel é um gorjeio=giro de ritmo semi continuo, timbre ou sonoridade metálica e texto fonético limitado composta pelas consoantes “L” e “N” e a vogal “I” (ex : linlinlinlin... ).

    Trata-se como que o timbre de agua, de um timbre especializado, se bem que no caso da cascavel, a personalidade própria como gorjeio concede a uma sonoridade metálica –campanulada, que faz com que o som desta variação que nos recorda o instrumento de que, precisamente, toma o nome o de uma pequena sineta.
    A especial sonoridade campanulada permita consoante final “N”.


    Valor positivo: Até aos 6 Pontos.



    GIRO=Gorgeio...................................... .....CASCAVEL
    RITMO............................................. .........EMISSÃO SEMICONTINUO
    SONORIDADE........................................ ... METÁLICA
    TEXTO............................................. .........FONÉTICO LIMITADO

    CONSOANTES E VOGAIS
    Consoantes L, N
    Vogal I I

    EXEMPLOS
    Linlinlin

    PONTOS até ..............................................6 PUNTOS


    1.5. Floreos Semiligados.
    Os Floreios Semiligados são giros/gorjeios de ritmo semicontinuo, de timbre ou sonoridade, principalmente, metálica ou oco e texto fonético ilimitado;isto é nos floreios podem intervir todas as consoantes e vogais.

    O conceito de floreios, em certa medida, é residual; já que podemos qualificar como tais a todas aquelas variações que não tenham localização sistemática no resto das epigrafes do Código.

    Isso fez, que no seu dia, na casa da ficha de julgamento onde coloca-se os floreios fora o conjunto de coisas diversas e desordenadas onde cabiam muitos giros/gorjeios que na actualidade tem o seu próprio lugar no código e na ficha, mas que no passado, devido às limitações dos primeiros Códigos de Canto,não tinham.
    Pode-se dizer sem exagerar, que a gama de floreios que pode emitir o canário de Canto Timbrado Espanhol é ilimitada.

    Valor positivo:Até.............................27 Pontos.


    GIRO/GORJEIO................................FLOREIOS SEMILIGADOS
    RITMO..............................................EMIS SÃO SEMICONTINUA
    SONORIDADE...................................METÁLICA OU OCA
    TEXTO FONÉTICO............................ ILIMITADO
    CONSOANTES E VOGAIS ..................Podem intervir no seu texto todas
    as consoantes e vogais.

    EXEMPLOS
    Lu lu lu...
    Ti ti ti ...
    Tui tui tui...


    PONTOS...........................................A té 27 PONTOS



    1.6. Floreios Lentos.

    Sirvam para este epígrafe os conceitos apontados para o anterior, já que a única diferença que existe entre ambos apoia-se, fundamentalmente, no ritmo de emissão; que no caso dos floreios lentos terá que ser descontinuo.
    Os floreios lentos constituem a parte mais bela e musical do canto do canário , até ao ponto de poder afirmar que trata-se da variação reinante do canário de Canto Timbrado Espanhol.

    Valor positivo Até 30 Pontos.



    GIRO.................................................. ...FLOREIOS LENTOS
    RITMO.................................................. .EMISSÃO DESCONTINUA
    SONORIDADE........................................METÁLICA OU OCA
    TEXTO FONÉTICO................................. ILIMITADO

    CONSOANTES E VOGAIS VOGAIS
    Podem intervir no seu texto todas as consoantes e vogais

    EXEMPLOS
    Tuii tuii tuii
    Tuio tuio tuio
    Flioriio flioriio
    Taa taa taa
    Dooili dooili

    Cueli cueli cueli


    PONTOS.................................................. ....Até 30 PONTOS


    1.7. Campana.

    A Campana é um giro/gorjeio de ritmo descontinuo, timbre ou sonoridade metálica (som do instrumento campana) e texto fonético relativamente limitado pela terminação em “N”,“NK” o “NG”.
    A consoante final “N” é a que confere a sonoridade acompanhada a este
    giro/gorjeio.
    Consideramos mais adequado potenciar a terminação “NK”, no lugar de “NG”, já que a campainha, pelas suas especiais características sonoras, é um dos giros de canto do nosso canário que mais probabilidades tem de acusar gangosidade ou nasalidade e estas aumentam com a presença da consoante “G”.


    Valor positivo: Até 6 Pontos.

    Cascavel = sineta

    Cascabeles - São de pequeno tamanho,com maior tem 25 mm e o menor 15mm de altura e foram fabricados com uma finíssima chapa de bronze os dois primeiros e com chapa de prata o terceiro.
    A sua tipologia é completamente distinta.
    O primeiro deles está formado por dois casquetes acampanados separados por finíssima moldura, o superior leva argola e o inferior um orifício.
    A segunda peça apresenta um largo arranque com orifício circular e a chapa dobrasse na parte inferior em quatro sectores.
    Finalmente o terceiro exemplar tem dois casquetes semi esféricos rematados por uma pequena argola circular.



    Guizos





    O Canário de Canto Timbrado Espanhol hoje . Artigo de Vicente Jerez Gomez-Coronado




















    PREPARAÇÃO DO CANÁRIO PARA O CONCURSO



    Um mês antes do concurso é necessário colocar os passarinhos nas suas gaiolas e selecciona-los por famílias,num lugar habitado onde exista movimento de pessoas, para que se acostumem às pessoas,seleccionados por famílias, num lugar habitado donde exista movimento de gente, para que se ainda pareça mentira eles percebem perfeitamente, que um canário seja arisco ou não o seja, basicamente depende disto; é também importantíssimo como é lógico a limpeza destas gaiolas.

    O canário, uma vez que se muda da voadora para a gaiola, é conveniente te-lo uns dias vendo se entre eles com objecto de que não sofra nenhum tipo de trauma ao ver-se num espaço tão reduzido, tudo isto sabeis, mas creio que muitos não o fazem.

    É muito importante manter a mesma alimentação da gaiola de voo ( voadora) e sobre tudo, na agua é recomendável dar um choque vitaminico com objectivo de que o STRESS que sofrem se torne mais suportável.

    Durante una semana devemos te-los nesta situação sem move-los, faz finca pé, da habitação onde estão os canários, deve estar em plena luz natural e eles completamente destapados.

    Na semana deve-se começar o treino, nesse momento pode colocá-los com uma cortina o suficientemente translúcida para que tenham perfeita luz dentro do transportadora, mas que ao mesmo tempo evite que se vejam entre eles.

    É muito importante que na hora de formar as equipas, os animais sejam da mesma família e comprovar durante o mês de treino se existe algum exemplar com notas agudas, ou repetitivas, este exemplar chegado no caso tiramos para fora do resto.
    Na formação das das equipas é aconselhável colocar o canário de mais poder, de cativar (empuje=empurre) ou como quereis chama-lo, no posto nº 4 e o tenor no nº 1, os dois restantes devem ser se quereis, os acompanhantes destes dois.

    TREINO:

    O treino deve-se realizar diariamente, durante um período de um mês.
    É recomendável tirar-los a distintas horas do dia, não é conveniente tirar mais de uma vez, coisa que alguns o fazem e não é bom para o pássaro.
    Do alimento, o autor fala no seguinte:

    Deve-se dar uma papa composta com um complexo vitaminico, cada um é livre de dar o que quer aos seus canários ; com o dito composto vitaminico mistura-se com biscoito moído, ovo, cenoura, etc.
    O autor coloca farinha de aveia, e dá gérmen de trigo, coloca levadura de cerveja.

    Quantidades que se quereis saber, é colocar um quilo de biscoito, 600 gramas de cenoura, 3 ovos duros e logo estendo isto sobre una bandeja, e vai pondo uma camada fina de farinha de aveia, outra de gérmen de trigo, outra capita fina de levadura de cerveja, 2 ou 3 gramas aproximadamente de complexo vitaminico, completaremos a alimentação como é lógico, com alpista e sementes.

    As sementes preocupam-me muito, Xavier informou e confirmou ao autor que um amigo seu que é biólogo, que tem feito umas análises do nabo, e qual não foi minha surpresa que o autor crê que os fungos formam-se no nabo quando a germinávamos, mas este senhor disse que contem fungos no próprio nabo seco tal como vem; então como é lógico isto ao fígado afecta-o muito e faz com eles e se comproveis uma coisa, todo o animal que consume mais nabo que alpista normalmente são os que mais mais afectados no aparelho digestivo.
    O que é conveniente, a cada animal, (isto foi ensinado ao autor o “Sneider”, que é igual... a uns gostam mais da carne e a outros o pescado, para o mesmo como é lógico uns comem mais alpista e outros mais sementes, outros mais papa) e por suposto, há que dar-lhes a suficiente quantidade do que eles gostam, colocando os meios oportunos para que não se machuquem.


    TRANSPORTE:

    Eu sofri com o transporte de meus canários,na minha carne o que nenhum de vocês passou.
    Eu vi os meus canários depois de levá-los de Múrcia para Vilhena, caírem de mortos intoxicados na maleta do carro, e isso não o podeis comprovar senão com alguns aparelhos especiais que demonstram-te o grau de toxicidade que possa ter essa maleta pela falta de oxigénio e por qualquer gás que se tenha filtrado, e que o possa determinar com exactidão. O que não falha é levar ao animal destapado no assento traseiro ou no carro onde possa ir o animal aberto. O autor não aconselha nunca a maleta-transportadora, nunca. Que seja transportadora e não se passa nada?
    Sim,mas Xavier, aqui presente, depois da viagem do outro dia, de Sevilha a Écija, com o seu irmão Paulo, disse:
    “Tirei os canários para que os escutar e tinha-os todos afectados, todos, que fazer, não me disseste, que não cantam e a surpresa que me eu levei hoje é que cantaram”.
    Outra coisa que vejo, que Madrid põe em prática, é que uma vez finalizado a viagem, o canário temos que tirar e coloca-lo numa voadora e colocar agua limpa para que tome banho e estique e faça um pouco de exercício, isso logo que se possa fazer em primeiro lugar.
    Logo outro tipo de considerações a ter em conta são as que afectam uma vez situado na sala de julgamento e queira fazer finca-pé no seguinte, que não se faz e antigamente fazia-se rigorosamente e é o seguinte; normalmente em todos os concursos coloca-se tudo no mesmo habitáculo, todos os canários,neste caso, há que procurar dentro do possível que não tenham contacto visual, nem auditivo directo.


    Rafa, observou o autor em Sevilha, que o homem coloca-os as suas transportadoras uma cortina diante que ele recomendou porque nos sítios que se vai, que por exemplo e que não reúnem as condições do local, este, que é enorme e podem-se situar como se querem e não visto, mas num sitio reduzido é muito importante isso que ele colocou Rafa.
    Os exemplares antes de entrar a concorrer devem colocar-se em bateria uns 15 minutos, para que comam e deixar assim que iniciem um pouco o canto, fazendo movimentos com as mãos, vai ver que eles vão ficar assustados, mas isto não se faz nunca, nada mais que da transportadora à mesa e logo o animal disse, que cante o teu pai, porque é assim.


    Isto sistematicamente em todos os concursos antigamente realizava-o a organização, o canaricultor não entrava e o transportador, o que entrava os canários, previamente enquanto eles estavam a concorrer na sala de julgamento estava preparando a bateria dos que entravam a continuação.
    Isto deve fazer-se. E logo já para terminar, normas que creio que devemos respeitar estritamente; enquanto dura o julgamento de uma equipa não se pode sair, nem entrar no local de julgamento, o momento oportuno é quando se procede na entrada e saída de exemplares.
    Capítulo especial merece que a conduta do criador, durante o período de julgamento, já que deve aguardar com absoluto silencio por respeito aos juízes, para que possam fazem bem as avaliações e aos donos dos exemplares.
    porque há que ter em conta que são as ilusões e o trabalho de todo um ano, como é lógico uma vez terminado o julgamento permite-se todo o tipo de comentários aos aficionados acerca das qualidades daquele ou do outro canário.


    UTRERA 1998!! (1º parte)
    Por Francisco Alarcón
    https://canariotimbradoespanholdoalm...NPj7_J4KvBAxOE

Tópicos Similares

  1. 40ª Expo-Aves 2016 -Clube Ornitologia Almadense
    Por Underslave no fórum Aves
    Respostas: 3
    Último Post: 15-11-2016, 00:06
  2. Respostas: 0
    Último Post: 29-10-2014, 18:48
  3. Rei Timbrado Espanhol
    Por Convidado no fórum Aves
    Respostas: 8
    Último Post: 27-04-2013, 08:46
  4. Clube de Ornitologia Almadense
    Por Convidado no fórum Notícias
    Respostas: 2
    Último Post: 12-03-2013, 21:26

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  

Conectar

Conectar