Ricky Kidd foi condenado por duas acusações de homicídio em primeiro grau, relativas às mortes, em fevereiro de 1996, de George Bryant e Oscar Bridges, em Kansas City. Foi então condenado a prisão perpétua.

Os registos judiciais mostram que Kidd disse às autoridades que estava com a sua namorada na altura das mortes. As testemunhas que depuseram contra ele retrataram-se mais tarde.

Na sua decisão, tomada na quarta-feira, o juiz do condado de DeKalb, Daren L. Adkins, mencionou provas "claras e convincentes" da inocência de Kidd.

Adkins ordenou que o Estado libertasse Kidd, se este não for julgado outra vez dentro de 30 dias.

Um porta-voz do gabinete do procurador-geral, Eric Schmitt, adiantou que a sentença está a ser analisada.

IN:NM