Os autores de um estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, procuraram inicialmente entender se comer ovos era um fator de risco no desenvolvimento de Alzheimer ou demência. Com esse intuito em mente, analisaram a dieta de homens de meia idade que mantiveram diários alimentares detalhando a quantidade de ovos ingeridos.

Analisando os dados apurados, os investigadores rastrearam incidentes de demência ou Alzheimer ao longo de 20 anos.


E a notícia foi boa: A análise estatística mostrou que o consumo desse alimento não aumentou as probabilidades de desenvolvimento de nenhuma das doenças.

A média era de quatro ovos consumidos por semana e o estudo provou que essa quantidade, na verdade, e ao invés, beneficiava a melhoria do desempenho em testes de memória, desempenho cognitivo e velocidade de raciocínio.

Os participantes que comeram um valor adicional de meio ovo por semana realizaram o The Trail Making Test, projetado para testar a velocidade motora e os turnos de conversação, 1.4 segundos mais rápido que os demais. O ovo extra também fez com que os participantes melhorassem a sua pontuação no Teste de Fluência Verbal, que mede a geração de palavras e testa a eficiência do lóbulo frontal.

Conclusão: Invista em quatro a cinco ovos por semana para ter uma mente mais saudável.

IN:NM