A crença popular diz que cães e gatos não costumam ser os melhores amigos. A verdade é que a distância entre uma espécie com a outra tem algumas explicações (spoiler: e a culpa é sobretudo dos cães), mas a boa notícia é que o convívio pacífico é possível, como explica a revista Galileu.


Os cães são descendentes dos lobos, animais com um forte instinto inato de caça. A captura de outros animais para a alimentação era a única forma de sobrevivência, até que alguns deles passaram a aproximar-se do homem para poderem comer os restos da sua comida. Os humanos, por outro lado, perceberam o benefício da inesperada relação, uma vez que esses animais os protegiam, além de serem uma boa companhia. Domesticados, tornaram-se o melhor amigo do homem, mas não perderam o instinto predatório.

E é esse instinto de caça que é ativado pelo cão quando se depara com animais de menor porte, vendo-os como possíveis presas.

Mas por que esta rivalidade parece piorar com os gatos?

Uma explicação é o comportamento dos felinos, que percebem a ameaça canina e instintivamente ficam com os pelos arrepiados ou fogem. Ou seja, agem como a presa que os cães acham que eles são, encorajando o 'ciclo de caça'.

Contudo, a rivalidade é contornável. Existem cães e gatos que convivem tranquilamente. A harmonia no relacionamento pode acontecer com um processo de aproximação, habituando um animal à presença do outro. O dono deve conter condutas agressivas e incentivar a socialização entre os bichos. Quem sabe, assim, a rivalidade fique restrita apenas às histórias dos desenhos animados.


IN:NM