Realmente os felinos tendem a ficar grande parte do tempo a esfregar a sua pequena pata na língua para de seguida passá-la na orelha, repetindo o processo, indo para a cabeça e continuando pelo resto do corpo. Enfim, é um procedimento no qual os gatos podem permanecer por períodos longos, mas que faz parte da sua natureza felina e selvagem, segundo a revista norte-americana Cat Mag.


A primeira explicação deve-se ao facto de que historicamente os felinos adotaram o hábito após se alimentarem, sendo uma maneira de espantar os supostos predadores. Instintivamente procurando maneiras de sobreviver no mundo exterior, sabiam que o cheiro no corpo após as refeições poderia causar ataques inesperados. Como tal até hoje o gato mantendo parte da sua natureza selvagem lambe-se como forma de banho, para retirar todo tipo de odor do corpo. E higiénicos como são, desde sempre, este costume faz parte da sua personalidade.

Quando o hábito de lamber pode ser uma compulsão

Como aponta a Cat Mag, apesar de ser um hábito comum, lamber-se em excesso pode ser uma compulsão, provocada por algum tipo de problema psicológico. Por exemplo, se o gato sente falta da atenção e do carinho do dono, é corriqueiro que o hábito se torne mais preponderante. Para ter a certeza, procure ter em atenção se o bicho se isola mais do que o habitual, se esconde por baixo da cama, dentro dos armários ou muda o seu comportamento (ficando triste ou agressivo). Então, deverá procurar ajuda profissional para averiguar o que se passa.

O gato também pode lamber-se em demasia devido a sentimentos de ansiedade e stress e este fator ocorre devido à sua personalidade controladora. Ele considera o local onde vive realmente dele, por isso um móvel diferente ou que mudou de lugar, se alterar a sua rotina, pode fazer com que fique mais agitado e uma das maneiras do gato demonstrar essa perturbação é limpar a pelugem excessivamente.


IN:NM