O investigador Asher Rosinger detetou que a ingestão pouca equilibrada de água afeta sobretudo a função cognitiva das mulheres mais idosas, segundo informações avançadas pela publicação Mega Curioso.


Rosinger foi o líder de um estudo realizado com o intuito de medir a velocidade motora, foco e memória no trabalho. Durante a experiência as pontuações mais diminutas foram positivamente correlacionadas com níveis mais reduzidos de hidratação – ou seja, a mulheres que tendiam a beber pouca água.

Paradoxalmente, não se registou o mesmo impacto entre os voluntários homens, sendo que não se detetaram grandes variações na sua capacidade de execução de tarefas.

E beber muita água faz bem à saúde?

Não, nem por isso – aponta o mesmo estudo. Foram igualmente apurados resultados negativos quanto ao desempenho do cérebro entre indivíduos excessivamente hidratados.

Desequilíbrio esse que de acordo com Rosinger acomete tanto indivíduos jovens quanto idosos. Sendo que no caso das pessoas mais velhas estes dados são mais preocupantes, isto por que o funcionamento do organismo já não é assim tão eficiente. As reservas de água diminuem e os rins não retêm os líquidos como deveriam.

Como posso melhorar a minha cognição?

O investigador salienta que deve consultar um médico de modo a que este possa discernir qual é o nível ideal de hidratação para o seu caso individual. É ainda recomendada a prática diária de exercícios mentais que exijam um pouco de pensamento complexo, ingerir uma alimentação saudável, dormir entre sete a oito horas de sono, controlar os níveis de glicose no sangue e praticar algum tipo de atividade física.


IN:NM