Se por um lado alguns estudos salientam os benefícios da alimentação pré-treino de modo a obter melhores resultados, por outro lado determinadas pesquisas indicam que praticar exercício em jejum ajuda a emagrecer.


Perante, este velho dilema a BBC Mundo, questionou Daniel Escaño, nutricionista especialista em alto rendimento na NutriciónDE: Alto Rendimiento Deportivo, em Espanha, sobre qual é o momento ideal para treinar - antes ou depois de comer a primeira refeição do dia.

"É vital e imprescindível ingerir algo antes de praticar exercício", sublinha Escaño, explicando que o tipo e a quantidade de alimento pode variar dependendo da atividade física que será feita.

"Não há sentido em submeter-se a uma situação de stress partindo de uma base já degradada, uma vez que o indivíduo passou por um longo período de jejum durante as cerca de oito horas de sono", explica.


"Quando acorda, necessita de ingerir algo para que o organismo possa funcionar corretamente e realizar o trabalho muscular".

Qualidade ao invés de quantidade

O especialista salienta que relativamente à alimentação/exercício é fundamental ter em atenção: o aporte calórico/gasto de energia e a qualidade dos alimentos ingeridos.

"O corpo precisa de energia suficiente para poder funcionar, da mesma forma que o motor de um carro precisa de combustível. Subsequentemente é necessário ter em atenção qual tipo (de alimento) é o mais recomendado”.

"Ou seja, se é melhor gasolina ou gasóleo ou o qual tipo de lubrificantes ou aditivos, que comparativamente seriam os nutrientes que administramos no corpo através da alimentação", exemplifica.

Para Escaño num cenário ideal, as pessoas deveriam tomar o pequeno-almoço cerca de duas horas e meia antes do treino matinal, mas tal é impossível para a maioria.

Como tal o nutricionista recomenda a ingestão, cerca de 30 minutos antes da atividade física, de uma pequena quantidade de alimentos de fácil digestão.

"Uma fruta como uma banana, ou um laticínio magro, opções que não sejam muito gordurosas. Também pode ser uma torrada ou uma barra de cereais", explica.

Apontando que após o treino, a pessoa pode comer um pequeno-almoço mais completo, com alimentos que promovam a recuperação do corpo.

"O que a maioria das pessoas fisicamente ativas procura é melhorar a performance, estar mais forte e melhorar os seus objetivos", diz.

"Para tal, é preciso estar a 100% e a alimentação é vital para conseguir isso", conclui o especialista espanhol.


IN:NM