O momento é de lutar contra um inimigo invisível, mas os burlões continuam em ação. Depois das apps com malware, das faturas falsas em nome de operadoras há também falsos inspetores a realizar inspeções periódicas de água e luz.


De acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços energéticos (ERSE), os burlões cobram 60 euros.









Alguém lhe bate à porta e diz que vem fazer uma inspeção periódica à sua instalação de gás ou de eletricidade, que é obrigatória e que tem de pagar cerca de 60 euros. A ERSE contactou as empresas de eletricidade e de gás natural, cujo nome está a ser usado e confirmou que, durante o período da pandemia causada pela Covid 19, não estão agendadas nem previstas quaisquer inspeções periódicas nas casas dos consumidores, salvo em situações urgentes ou solicitadas pelo consumidor e previamente agendadas.







Em caso de dúvida, pode sempre contactar o seu fornecedor! Para se prevenir, poderá também exigir a identificação de quem lhe bate à porta sempre que solicitar algum serviço ao seu fornecedor ou operador da rede de eletricidade ou de gás natural.



No primeiro trimestre de 2020, o Portal da Queixa registou 1377 reclamações relativas a esquemas de burla e fraude, representando um aumento de 34% face a 2019, onde foram registadas apenas 1024 reclamações. Desde o início do Estado de Emergência, a maior rede social de consumidores em Portugal, registou 356 reclamações enquadradas em burlas e fraudes, um ritmo de 16 queixas por dia. Em tempos confinamento e maior exposição do consumidor às plataformas digitais, o Portal da Queixa alerta a comunidade online para as 5 principais burlas que estão a ser praticadas.




PP