A Tesla está, atualmente, a trabalhar em dois grandes carros. O Cybertruck e o Roadster são de categorias bastante diferentes, mas era previsível que ambos começassem a ser produzidos ainda este ano.


Agora, Elon Musk revela que vai dar prioridade à produção de outros modelos, deixando o carro desportivo para mais tarde.









A Tesla está a produzir dois dos carros mais aguardados do mercado. O Cybertruck apresenta-se como uma carrinha pickup que, segundo a própria Tesla, apresenta um desempenho superior ao de um carro desportivo. Depois há o próprio carro desportivo da marca, o Roadster.



Num podcast gravado com Joe Rogan, Musk falou um pouco sobre o futuro de ambos os modelos e, sobre o Tesla Roadster, disse que o seu desenvolvimento teria que ficar parado, para a empresa se focar no desenvolvimento de outros carros, nomeadamente do Cybertruck.



Roadster – O carro desportivo da Tesla não deverá chegar antes de 2022

Durante a entrevista, perguntou-se quando é que um Roadster poderia ser comprado, mas Musk não avançou com uma data. Contudo, há já analistas que referem que o carro desportivo não deverá chegar antes de 2022. É importante relembrar que inicialmente 2020 era o ano previsto para se iniciar a produção.








No entanto, o homem da Tesla referiu que, para já, a prioridade era, por exemplo, aumentar a produção do Model Y e concluir a unidade de produção de Berlim.


Além disso, o interesse pela carrinha pickup Cybertruck parece continuar a aumentar junto do público. No início do ano, falava-se de forma não oficial que poderiam já estar mais de 500 mil pessoas interessadas. Isto poderá ser um fator para a Tesla colocar a pickup à frente do carro desportivo que, segundo Musk, é a “sobremesa” da empresa. Ou seja, há ainda muito à frente do Roadster.








Há que considerar que, apesar de haver mercado interessado no carro desportivo, dado o seu preço e os seus concorrentes, não será algo tão lucrativo para a empresa.



Para finalizar, Musk voltou a frisar que as suas unidades de produção estão também elas a ser afetadas pela pandemia, havendo atrasos na produção, que se poderá prolongar por mais alguns meses.



PP