Atestar o depósito em Portugal ficará mais caro a partir da próxima segunda-feira, dia 25 de maio, com os preços da gasolina e do gasóleo com margem para registarem a maior subida desde o início deste ano.

De acordo com os cálculos do Negócios, o preço da gasolina simples 95 deverá sofrer um aumento de 3 cêntimos para os 1,291 euros por litro. No caso do gasóleo simples, a subida será ligeiramente superior (+3,7 cêntimos) para os 1,176 euros por litro. A confirmar-se, estes serão os maiores aumentos semanais desde a semana iniciada a 6 de janeiro deste ano.

Nessa altura, esse aumento de preços foi explicado quase na totalidade pelo aumento de impostos e taxas, que as gasolineiras decidiram incorporar nos preços, mesmo antes de o Governo ter publicado as portarias que atualizam a taxa de carbono e o aumento da incorporação de biocombustíveis.

Desde o início deste ano, o preço da gasolina simples 95 desvalorizou 17%, enquanto que o do gasóleo perdeu 19%.

Nas últimas semanas, os preços têm conhecido ligeiras recuperações, após quase dois meses de desvalorizações e subidas muito ténues. Estas novas subidas coincidem com a reabertura gradual da economia, com o uso do automóvel privado e dos transportes públicos a aumentar. A partir da próxima segunda-feira, Portugal entra na segunda semana da segunda fase de desconfinamento decretada pelo Governo.



Nesta semana verificou-se uma nova subida dos preços do petróleo nos mercados internacionais, com o Brent - que serve de referência para Portugal - a encaminhar-se para a quarta semana consecutiva de ganhos.

Contudo, esta variação no preços dos combustíveis, nos postos de abastecimento, espelha a variação da tonelada métrica de cada ativo no mercado europeu até ao final desta semana, aos quais os preços do gasóleo e da gasolina estão indexados.

Assim sendo, a tonelada métrica da gasolina conheceu uma valorização de 15,19% para os 251,308 euros, enquanto que a do gasóleo subiu 15,69% para os 264,23 euros.

Apesar de a evolução dos preços dos combustíveis ser calculada tendo por base a evolução destes dois derivados do petróleo (gasóleo e gasolina) e do euro, o custo dos combustíveis na bomba dependerá sempre de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

Estes preços têm em conta as variações calculadas pelo Negócios face ao preço médio praticado em Portugal esta semana e anunciado pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Os cálculos do Negócios têm por base contratos diferentes dos seguidos pelas petrolíferas (ainda que a evolução costume ser semelhante), sendo que os dados disponíveis para o Negócios só estão disponíveis até quinta-feira (faltando um dia de negociação).


IN:NEGOCIOS