Todos temos aquele amigo que come tudo e não engorda. A ciência resolveu o mistério: é genético.

Num estudo publicado esta quinta-feira na revista Cell, uma equipa de cientistas afirma que indivíduos com certas variações num gene conhecido como ALK são fisicamente mais resistentes ao ganho de peso do que a maioria, independentemente do estilo de vida.

"Todos conhecemos essas pessoas: é cerca de 1% da população", diz o autor e professor de genética médica da University of British Columbia, Josef Penninger, citado pelo New York Post. “Eles podem comer o que quiserem e serem metabolicamente saudáveis. Eles comem muito, não fazem agachamentos, mas simplesmente não ganham peso".

Para chegar a esta conclusão, Penninger e a sua equipa analisaram o ADN de mais de 47 mil pessoas com idades entre os 20 e 44 anos e descobriram que alguns indivíduos magros tinham uma variação única no gene ALK. Os investigadores testaram a teoria em ratos e moscas e chegaram à conclusão que as criaturas eram resistentes à obesidade induzida pela dieta quando o seu gene ALK foi excluído.


IN:NM