Não há volta a dar, Marte está efetivamente na mira dos países e das agências espaciais e é lá que todos querem ir. Depois dos Estados Unidos, Rússia, Europa, entre outros, apontarem tecnologia para conhecer solo marciano, chegou a vez da “Hope”, uma sonda dos Emirados Árabes Unidos.


Apesar da pandemia, os EAU, que têm uma população de apenas 9,6 milhões de habitantes, enviarão uma sonda de exploração a Marte, no próximo mês.







Sonda Hope levará tecnologia dos Emirados Árabes Unidos a Marte


No próximo dia 15 de julho de 2020, os Emirados Árabes Unidos (EAU) vão lançar a sua Missão Emirados Marte (EMM). Esta missão levará uma sonda chamada “Hope” numa viagem de sete meses até ao Planeta Vermelho.


Com semelhanças com a missão MAVEN da NASA, a sonda, se bem sucedida, estudará o clima de Marte, dando uma visão abrangente do sistema meteorológico do planeta e dos EAU, uma base impressionante na corrida espacial.







Missão dos Emirados em Marte nos trilhos, apesar da COVID-19


Conforme foi dado a conhecer, o EMM enviará um orbital de Marte, desenvolvido pelo Centro Espacial Mohammed Bin Rashid (MBRSC), no Dubai. Esta sonda foi desenvolvida em parceria com o Laboratório de Física Atmosférica e Espacial da Universidade do Colorado, em Boulder. A nave deverá chegar a Marte em fevereiro de 2021 e começar a estudar a atmosfera marciana no final de 2021.



O objetivo da missão é construir o primeiro quadro completo do clima de Marte ao longo do ano marciano. Segundo os responsáveis desta missão, este conjunto de dados recolhidos será de valor inestimável para futuras missões a Marte.



Está a chegar num momento difícil para todos, por isso, tem sido uma notícia refrescante. Tivemos de dar mais uma vista de olhos às reuniões para os eventos de lançamento, mas estamos à procura de fazer algo online.


Explicou Sarah Al Amiri, Ministra de Estado das Ciências Avançadas dos Emirados Árabes Unidos e Gestora de Projeto Adjunta da Missão dos Emirados Marte, à Forbes.







Planos de contingência impressionantes


Apesar dos contratempos da pandemia da COVID-19, o Centro Espacial Mohammed Bin Rashid tem conseguido manter a missão no bom caminho.



Estamos na fase da campanha de lançamento – a nave está abastecida e pronta para o lançamento. Tivemos de a enviar mais cedo do que o previsto devido à COVID-19 e dividimos a equipa, colocando alguns deles no Japão durante quatro meses.

Disse Omran Sharaf, líder do projeto da Missão dos Emirados Marte.








O futuro pós-petróleo para os Emirados Árabes Unidos


Os Emirados Árabes Unidos têm sido claros que, embora o seu objetivo seja preencher lacunas no nosso conhecimento sobre o Planeta Vermelho, a Missão a Marte dos EAU é também sobre a economia do país a longo prazo.


Chegar a Marte não é o principal objetivo aqui – trata-se de reforçar a nossa economia do conhecimento, tornando-a mais inovadora, criativa e competitiva. É sobre a economia pós-petróleo.

Concluiu Sharaf
.


Conforme foi já programado, a janela de lançamento do EMM inicia-se no dia 15 de julho de 2020 e fecha a 3 de agosto de 2020. Portanto, se esta janela de lançamento falhar, toda a missão terá de ser adiada até setembro de 2022.




PP