Minerar bitcoins exige um equipamento específico ligado o dia todo. Saiba o que é e como funciona a mineração de bitcoins, e se compensa.
Não, minerar bitcoins não é sentar-se em frente ao seu computador com um capacete de mineiro e uma picareta na mão. De forma simplificada, “mineiros” de bitcoins são pessoas que fazem funcionar a rede bitcoin e são recompensados por isso, com bitcoins.

Mas expliquemos do início. Quando ocorre uma transação de bitcoins, a pessoa que faz o pagamento “assina” a operação com a sua chave privada, um código que só ela tem. Mas para que esta transação seja considerada válida, é necessário resolver um “puzzle” criptográfico para verificar que a chave privada “encaixa” e que a operação é autêntica. Essa informação é comunicada à rede bitcoin e acrescentada à blockchain, uma espécie de livro de registo que contém o histórico da bitcoin.

Resolver o puzzle corresponde a executar o algoritmo da bitcoin até encontrar a solução. É a esse processo que se chama minerar bitcoins e é esse o papel dos “mineiros”, que disponibilizam à rede bitcoin capacidade de processamento para validar as transações. Para os incentivar, quem encontrar a solução, e acrescentar um novo bloco à blockchain, recebe uma pequena quantidade de bitcoins.
E de onde vem o termo “mineiro”? Este trabalho intensivo de computação, que é recompensado por novas unidades de criptomoedas, foi comparado à mineração para extrair jóias ou metais preciosos. E o termo ficou.

De notar que nem todas as criptomoedas funcionam neste sistema (designado proof of work), pelo que a nossa análise aplica-se à bitcoin e a criptomoedas com modelo semelhante.