Em um mundo onde absolutamente nada mais parece oferecer privacidade, certamente há uma demanda por moedas com foco em privacidade, como o Monero. Eu listei tanto um exemplo legal, onde o dinheiro privado era uma coisa boa, como também um exemplo ilegal, mas moralmente defensável.

O Monero tem o potencial de permitir que as pessoas realizem transações quase instantaneamente, em todo o planeta, sem a necessidade de permissão de qualquer autoridade. Em países com governos opressivos, isso poderia ser usado como uma ferramenta muito poderosa na busca da liberdade.
Dito isso, os criminosos também apreciam os recursos de privacidade do Monero. Os mercados da dark web podem ser acessados por qualquer pessoa. Neles é possível encontrar uma gama enorme de drogas, armas e outros itens criminosos. O Monero tem sido usado em sites desse tipo.

Não só isso, o Monero também tem sido usado por governos, como a Coréia do Norte, para contornar as sanções internacionais. Por ambos os motivos, é muito possível que o Monero seja atacado por governos menos interessados na idéia de um meio de pagamento completamente privado. Isso ocorre pois ele poderia ser usado por pedófilos, traficantes de drogas, organizações terroristas internacionais e traficantes de pessoas.