Uma professora de uma escola de Verona, na Itália, e a lecionar ainda à distância, obrigou uma das suas alunas e fazer um exame vendada, para garantir que esta não fazia batota. O caso está a causar consternação no país.

Segundo reporta a imprensa local, a professora estaria desconfiada dos resultados demasiado bons da aluna de 15 anos e sujeitou- a um exame oral, o qual teria de ser executado com uma venda nos olhos.

"Senti-me humilhada", terá partilhado a jovem com os seus colegas, antes de o caso ter sido partilhado redes sociais e junto das autoridades.

O caso deixou o país de boca aberta perante a imagem da jovem com uma venda preta sobre os olhos, em frente ao computador.

Entretanto as autoridades escolares regionais de Vêneto abriram uma investigação ao incidente e solicitaram ao governo a criação de uma carta de direitos dos estudantes do ensino à distância, elaborada pelo sindicato.

Outros estudantes do mesmo colégio dizem que tiveram de fazer exames com a cara quase colada aos ecrãs dos computadores para se garantir que não tentavam olhar para apontamentos ou cábulas.

Note-se que os estudantes italianos têm sido dos mais afetados na Europa pelo encerramento das aulas desde que a pandemia começou. Ao longo de um ano, a Itália fechou as suas escolas durante 30 semanas, total ou parcialmente.


IN:NM