O jejum intermitente não é para todos. Na verdade, diabéticos e mulheres grávidas, por exemplo, estão entre o grupo de pessoas que devem evitar este tipo de regime alimentar. Porém, para os outros, seguir esta dieta pode ajudar a perder peso.

O único problema é que este pode não ser um estilo de vida fácil de adotar, especialmente se tiver uma rotina irregular ou muito ocupada. No entanto, uma nova pesquisa aponta o tipo de jejum intermitente que a maioria das pessoas pode seguir.

O novo estudo da Universidade de Surrey, publicado na revista Appetite, descobriu que, das 608 pessoas envolvidas na investigação, mais de 400 acreditavam que poderiam reduzir a sua "janela de alimentação" (horário em que comem) em três horas se benefícios claros para a saúde estivessem associados à prática.

Para contextualizar, a maioria dos participantes no estudo disse que, normalmente, tinha uma "janela de alimentação" entre 10 e 14 horas em dias úteis e não úteis. No entanto, a vontade de participar de um cronograma de alimentação restrita diminuiu drasticamente à medida que a "janela de alimentação" aumentou. Mais especificamente, apenas 20% acreditavam que poderiam reduzir a sua "janela de alimentação" em quatro ou mais horas, enquanto 85% acreditavam que poderiam reduzi-la em apenas 30 minutos. Existem vários tipos de dietas de jejum intermitente, a mais popular das quais inclui o método 16/8, que exige um jejum de 14 a 16 horas e uma alimentação diária de 8 a 10 horas.

Dito isto, a chave para um regime de jejum intermitente pode ser facilitar no padrão alimentar diminuindo gradualmente a "janela" em apenas 30 minutos de cada vez.


IN:NM