Em 2011, a Escócia propôs-se a atingir um consumo de eletricidade 100% limpa até ao final do ano de 2020. Depois de findado o ano, um novo relatório revela que o país ficou 1,4% aquém de cumprir esse objetivo.


O governo considera que, embora não tenha sido cumprido, estes valores são um grande passo.











Embora tenha definido 2020 como horizonte temporal para que a totalidade da eletricidade proviesse apenas de fontes renováveis, os céticos desacreditaram que seria possível. Contudo, os dados mostram que a transição é possível e que a Escócia ficou a pouco mais de um ponto percentual de atingir o seu objetivo.




De acordo com a declaração energética publicada em dezembro e gerada pelo governo escocês, em 2020, o país atingiu uns impressionantes 98,6% de consumo bruto de eletricidade proveniente de fontes renováveis. Portanto, ficou 1,4% aquém de conseguir que a energia do país fosse 100% gerada por fontes renováveis.



Em 2019, a Escócia satisfez 89,8% do seu consumo de eletricidade a partir de energias renováveis, de acordo com os números do governo escocês. Segundo mencionado pela BBC, a meta foi definida em 2011, quando as fontes renováveis responderam a apenas 37% da procura.




Escócia está no caminho certo e mostra que é possível

Apesar de o objetivo ter sido quase cumprido em 2020, os números provisórios relativamente aos primeiros nove meses de 2021 mostraram que a geração de eletricidade a partir de fontes renováveis diminuiu 22,3%, em comparação com o mesmo período de 2020.



De acordo com o governo escocês, este declínio deve-se à “continuação do clima ameno durante o ano que afetou negativamente a produção de energia hidroelétrica e eólica”.



A Escócia está na liderança internacional com o nosso compromisso de neutralidade carbónica até 2045. Esta declaração mostra que continuamos a fazer bons progressos, com o equivalente a 98,6% do consumo bruto de eletricidade proveniente de fontes renováveis em 2020, contra 89,8% em 2019.


Disse Michael Matheson, secretário do gabinete para a neutralidade carbónica, energia e transportes da Escócia.







Michael Matheson, secretário do gabinete para a neutralidade carbónica, energia e transportes da Escócia




Embora admita que o país enfrentará muitos desafios para atingir os “ambiciosos objetivos”, acredita que a Escócia está a dar passos significativos rumo à neutralidade carbónica.





pp