Um grupo de cientistas das universidades de Leuven e Namur, na Bélgica, fez uma descoberta que pode muito bem vir a revolucionar o combate ao coronavírus. Os investigadores desenvolveram um método que envolve um tipo de açúcar denominado 9-O acetilado, que foi isolado e usado como um 'escudo' contra a Covid-19, avança uma publicação na revista científica Nature Communications.

Os cientistas explicam que quando o SARS-CoV-2 entra em contato com uma célula precisa de criar ligações e de se agarrar a ela. Só então consegue entrar em contato com o receptor ACE2 e concretizar a infeção. Para isso, a superfície externa do vírus é revestida por uma grande quantidade da proteína spike, responsável pela entrada do vírus nas células e pela identificação do receptor ACE2, como resumiu o cientista David Alsteens em declarações ao jornal Le Soir.

A boa notícia é que os investigadores descobriram que os açúcares 9-O-acetilados podem servir como uma segunda barreira. Desta forma, o vírus morre sem conseguir infectar as células humanas.

Os responsáveis consideram que estas descobertas serão úteis para a criação de antivirais que facilitem a erradicação completa do vírus. Por enquanto, a solução encontrada será testada em ratos de laboratórios e, dependendo dos resultados, os ensaios clínicos poderão vir a incluir humanos.


IN:NM