Oleksiy Arestovych, conselheiro do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou, esta quinta-feira, que “a luta por Lysychansk e Severodonetsk”, na região separatista de Lugansk, “entrou no seu clímax”.

Em declarações à televisão estatal ucraniana e citado pela CNN International, o responsável frisou que “esta fase [da batalha] parece aterradora do ponto vista militar”. “Qualquer lado que envie dois batalhões de artilharia para lá ganha este combate. Vamos ver quem manda. Quem os tem [batalhões], só o comando militar de ambos os lados sabe”, acrescentou.

Esta quinta-feira, o Ministério de Defesa da Rússia revelou que, nos últimos dois dias, as tropas ucranianas perderam “mais de 150 militares” em Lugansk, sendo que outros 450 ficaram feridos.

Segundo uma publicação na rede social Telegram, “mais de 170 soldados foram retirados da zona de combate com ferimentos graves” em Donetsk.

No total, na Ucrânia, “como resultado de ataques aéreos, mísseis e artilharia, mais de 650 nacionalistas, 17 tanques e outros veículos de combate blindados, três veículos de combate com sistema de ‘rockets’, bem como 17 veículos especiais, foram destruídos num dia”, segundo a Rússia.

Assinala-se, esta quinta-feira, o 120.º dia da guerra na Ucrânia, que já provocou, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a morte a 4.481 civis e deixou 5.565 feridos.


IN:NM