Alberto Cormillot, médico nutricionista, foi pai de um menino aos 83 anos.

O médico, e a mulher de 35 anos, foram pais após se terem submetido a tratamentos de fertilidade. E, apesar da alegria do nascimento, o homem mostra-se ciente de que, provavelmente, não viverá o suficiente para ver o seu filho crescer.

Alberto, que mora na Argentina, garante que está ativamente empenhado em criar o filho Emilio mas "estou ciente de que a vida não é infinita". Por esse motivo, o seu objetivo é criar o máximo de memórias possíveis com o menino.

Mas não só. O médico tem preparado também algumas surpresas para quando o filho for mais velho, incluindo áudios e vídeos que envia ao menino, que apesar de só ter 9 meses já tem um telemóvel com WhatsApp instalado.

"Não dramatizo as coisas, apenas olho para a realidade tal qual ela é", diz.

O homem é já pai de outros dois filhos, Renee e Adrian, e tem três netas. A sua primeira mulher, Monika Arborgast, morreu em 2017.


IN:NM