Governo admite adiar portagens

Rotertinho

GF Ouro
Entrou
Abr 6, 2010
Mensagens
7,897
Gostos Recebidos
8
SCUT: PSD contra a introdução de chips nas matrículas
Governo admite adiar portagens

O Governo mostrou ontem abertura para adiar a introdução de portagens nas Scut, depois de o ministro das Obras Públicas, António Mendonça, ter dado uma conferência à última da hora onde admitiu "o diálogo com a oposição", particularmente com o PSD, que está contra a introdução de chips nas matrículas, mas defende portagens em todas as Scut.

O Executivo reúne-se hoje com o líder parlamentar do PSD, Miguel Macedo, e esta abertura pressupõe que a introdução de chips e portagens nas três Scut a Norte não cumprirá o calendário previsto de entrar em vigor a 1 de Julho. Mas por outro lado, o diálogo irá no sentido de avançar, de forma faseada, com a introdução de portagens em todas as Scut, sete, com outro modo de pagamento que não o chip da matrícula.

Miguel Relvas, secretário-geral dos sociais-democratas, considera que, no que se refere à introdução de portagens nas Scut, o PSD defende que "ou pagam todos ou não paga ninguém". E porque as portagens "não devem ter carácter regional", o secretário-geral do PSD instou o Governo a apresentar, até ao dia 9 de Julho, um cronograma de introdução de portagens em todas as Scut, sugerindo que o processo esteja concluído até ao final do ano.

Sobre a obrigatoriedade do uso de identificadores electrónicos de matrícula, o PSD votará a favor das propostas que amanhã são apresentadas no Parlamento para a revogação dos diplomas.

SAIBA MAIS

ERA GUTERRES

As Scut, as auto-estradas sem custo para o utilizador, foram criadas no período de governação de António Guterres, em 1997. À época, João Cravinho era ministro das Obras Públicas.

914 KM

Em Portugal, são 914 os quilómetros em regime Scut, 55% das quais situadas no Interior. No ano passado, as Scut custaram ao Estado 648 milhões.

4000

Foram distribuídos 4000 panfletos contra as portagens nas Scut, ontem no ‘buzinão’ do Porto. Poucos foram rejeitados pelos automobilistas.

UTILIZADOR-PAGADOR

O financiamento da construção, conservação e manutenção das Scut é feito via impostos e pela comparticipação por fundos comunitários.

"O POVO TEM DE SAIR À RUA"

"O povo tem de sair à rua e lutar contra as portagens", disse o automobilista Vítor Martins. Este foi um dos muitos gritos de revolta ouvidos ontem no ‘buzinão’ na rotunda da AEP, no Porto, que dá acesso à A28, uma das vias com troços portajados. Durante cerca de duas horas, as buzinas reagiram ao apelo dos promotores do protesto que reuniu utentes da A28, A41 e A42 e outros automobilistas. Até as vuvuzelas apareceram no ‘buzinão’, que condicionou o trânsito naquela saída da cidade do Porto. "Os ministros que poupem o dinheiro do Estado", gritou outra condutora a carregar na buzina. José Ferreira, porta-voz da comissão de utentes a Norte, afirmou ao Correio da Manhã que a revolta está a aumentar. "O apoio do presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, foi muito importante", salientou.


Correio da Manha
 
Topo